.

FELIZ DIA DAS MÃES

1 comentários |
Somos 28 MÃES representadas neste quebra-cabeça, 25 de nós somos MÃES DIABÉTICAS (DM1 e DM2 com diferentes tipos de tratamentos e anos de diabetes) e 3 são MAMÃES PÂNCREAS...

Somos parte de um quebra-cabeça, parte de um círculo azul chamado DIABETES e todas nós lutamos diariamente para mantermos nossas glicemias em dia, para evitarmos possíveis sequelas do mal controle glicêmico, tendo assim melhor qualidade de vida.

Somos mulheres extraordinárias, guerreiras, batalhadoras, sinônimo de superação e conquista.

Em nossa complexidade diária, cada uma com sua realidade de vida, que nos torna tão únicas e tão iguais...

Todas nós que aqui estamos representando vocês, MÃES DIABÉTICAS e MAMÃES PÂNCREAS, mulheres de força, garra e coragem.

FELIZ DIA DAS MÃES Á TODAS NÓS!

Participaram desta imagem: Andrea e Hikari, Letícia e Isabela, Luciana e Maria Eduarda, Tâlher e Vinicius, Layla e Nair, Cris e Lyra Alicia, Aline e Gabriel, Katiuska, Kamilly e Gustavo, Elisângela e Ana Vitória, Marcela e Pedro, Daniela e Yasmin, Débora, Bryan e Derick, Daiany, Isaac e Lorenzo, Alessandra gestando Alicia, Geise e Matheus, Priscila e Bryan, Denize e Manuelle, Kath e Davi, Daniele e Miguel, Sheila e André, Tairine e Ana Luiza, Lais e Murilo, Marcia e João Pedro, Roberta e Rafaela, Cinara e Helena, Erika e Ana Julia, Daniele e Samuel e Patrícia e João.


MAIS UM DIA COMO X-MEN!!!

0 comentários |
Acordo atrasada com hipo (pelos sintomas, sem medição) e em um dia q não poderia de nenhuma forma me atrasar, teria que fazer a entrada das crianças no trabalho. De olhos fechados, corro pro chuveiro, tomo o famoso banho de gato, visto qualquer roupa, qdo percebo que a cânula da bomba de insulina sai. 

Paro e penso no que fazer, lembro que tenho um kit de insumos no trabalho,decido colocar a cânula no trabalho, pois se eu não perder o bus, em 15 mins chego no trabalho (trabalho relativamente perto de casa). 

Saio correndo, literalmente correndo, desço a rua de casa, tenho dificuldades para descer o escadão, vejo dois degraus em cada degrau (rsrs), chego no ponto de ônibus a tempo de pegá-lo, pois ele passa a cada meia hora, ou seja, se eu o perdesse...Já era...


Ufa!!! Só que não! Começo a suar feito doida, a ficar gelada, então lembro da hipo, procuro o glicosímetro e não o encontro, na correria, percebi ele ficou em casa em meu criado-mudo, enfio inúmeras balas em minha boca e qdo finalmente me sinto lúcida, preciso descer e pegar outro ônibus.


No segundo bus, me olho no espelho e vejo uma pessoa desfigurada, corro, seco o suor, passo pó na cara, rímel, faço um coque e dou sinal para descer.


Desço, corro igual a uma louca para abrir a porta da escola, novamente me olho no espelho e começo minhas atividades diárias com mais de 200 crianças e 40 funcionários...Tomo café da manhã, conto CHO e oro para não ter uma outra hipo.


As 10 da manhã me lembro... 


-Opa! Cadê a cânula da bomba?!


E logo penso:


-Por isso tô fedendo a insulina, não desliguei a bomba, ela enviou insulina e por estar desconectada vazou em mim...


Neste momento uma professora me chama para resolver problemas e eu não a coloco novamente.Ás 10:30 da manhã, sem cânula, sem glicosímetro, eu finalmente ponho a cânula, faço um cálculo (pessoal e por isso não vou falar aqui), corrijo e tomo o lanche da manhã.


Dia corrido...


Ao chegar em casa, antes de abraçar Davi, abraço meu glicosímetro e o beijo, ele não tem noção da falta que me fez, meu filho acha engraçada minha atitude e faz o mesmo rsrsr


Meço a glicemia e estava 99mg/dL... Graças a Deus!!!!


Janto, faço minhas atividades de dona de casa e mãe, deito me sentindo uma X-Men por tamanhas mutações rsrsr



CONFISSÃO...

1 comentários |
Ontem, juro, senti momentaneamente ódio, não do DM, mas sim de como as pessoas nos tratam diante de algumas situações.

Não minto, já desejei uma hipoglicemia para mt gente, só uma crise apenas, para que sentissem na pele o que sentimos. Sei q não deveria, mas sou humana e sincera, já desejei sim...

Eu não peço carinho, frescuras e nem regalias. Peço apenas humanidade e educação.Mais gentileza por favor!

Por: Kath Paloma

Sobre carinho...

0 comentários |
A mãe de um aluno descobre pela redes sociais q sou DM.Hoje ela aparece com esta barra de chocolate, me parabenizando pelo Dia das Mães e mostrando preocupação em me dar algo q eu "pudesse comer".
Achei fofo demais!!!Mesmo comendo qualquer tipo de chocolate, notei a preocupação dela e me sentir querida, me fez um bem danado!

Por: Kath Paloma


SOBRE A DOR DE PERDER UM FILHO/ UMA CARTA AO MEU BEBE QUE SE FOI...

0 comentários |
Meu bem, o Dia das Mães está chegando, e com ele a alegria de ver seu irmão na escola, falando feito papagaio, me abraçando e beijando... A alegria de ver sua irmã virando uma mocinha, mas a tristeza de saber que faltam 2 dias para completar 4 anos que te perdi...

Foi gostoso o tempo que passamos juntos, sei lá, saber que vc estava dentro de mim me fazia um bem danado, começar a ganhar os presentes que vc usaria me deixava feliz, escolher seu nome foi tão fácil... Não sabíamos ao certo seu sexo, os médicos davam palpites, embora nós quiséssemos uma menina era quase certo q teríamos um menino em casa.

Mamãe te amou desde que soube da sua existência, mamãe te quis desde o momento que te chamaram de embrião, mas para mim vc era o meu filho, o meu bebe e não apenas um embrião...




Mamãe passou a cuidar ainda melhor do Diabetes, media as glicemias como louca, contava carboidrato direitinho, fazia caminhada, bebia mt água, fazia tds os exames... Enfim, td o que me pediram para fazer para te ter junto a mim eu fiz, juro, mamãe fez...


Mas Deus tinha outro propósito, permitiu com q vc ficasse dentro da barriga da mamãe por quase 4 meses, q vc fizesse morada em mim, q me ensinasse, e depois o Papai do Céu te levou... 


Filho, como eu sofri! Fiquei sem chão, com um buraco no peito, eu queria morrer naquelas semanas q seguiram, não vi mais sentido em nada, fiquei por dias fora do ar, me perguntando pq Deus tinha me dado à dádiva da maternidade se ele iria te levar...


Te perdi na semana do Dia das Mães, nosso único contato físico foi dentro do centro cirúrgico, de lá sai com meu físico e psicológico destruídos....


Perguntei-me quem sofria mais... Eu q gestei por um pouco mais de um trimestre ou a mãe do recém- nascido? Ou... A mãe da criança... Ou a mãe do adolescente... Ou a mãe do adulto... ou a mãe do idoso.... Não importa, sabe pq? Tds nós somos mães e tds temos dentro d
e nós um amor intenso e q não importa o tempo juntos, pq filho é filho e td mãe os quer ter por perto...

Eu tenho saudades, saudades do que poderíamos ter vivido juntos, ou estar vivendo juntos, afinal vc já seria uma criança a completar 4 anos e dos meus lábios tiraria mts risos...

Depois da sua partida os dias foram difícies, mas ter te gestado meu deu uma louca vontade de engravidar, me cuidei mt e veio o seu irmão Davi. Não fique com ciúmes, eu ainda te amo, eu ainda sinto saudades e falo de vc para seus irmãos, em meu coração vc terá um lugar reservado sempre, até a mamãe morrer...


Mamãe não pretende ter mais filhos, mas se os tiver ainda sim vc será sempre o meu primogênito...
Lhe escrevi td isso chorando, dolorida, te querendo aqui, mas nosso Deus quis assim e de certa forma isso me conforta. Mesmo não te tocando, mesmo nunca ter te cheirado, ter te abraçado... Filho, eu amo vc! E dentro da minha memória guardo com carinho o seu rosto, sim o seu rosto pq minha sensibilidade materna permitiu-me te ver...


Por: Kath Paloma

http://diabetesevoce.blogspot.com.br/2012/05/perdi-meu-bebe-so-uma-virgula-em-minha.html

DM2, ela perdeu peso, cuidou dos rins e do ovário policístico para engravidar.

9 comentários |
Olá! 

Chamo-me Nayra, tenho 28 anos e trabalho como auxiliar administrativo, sou DM 2 há 12 anos e usava medicamento oral (metformina e glicazida) para o tratamento quando engravidei,passei a usar as insulinas NPH e Regular e continuei com a metformina, utilizei a seringa para aplicar-me.

Durante a adolescência, tive dificuldades em manter o controle das glicemias por rebeldia, foi na fase adulta que me tornei mais consciente. Minha família fazia o que podia para me ajudar, eu que nunca liguei muito... Quando decidi me importar, tudo mudou para melhor, passei a enxergar o envolvimento do meu marido e familiares de forma diferente, o da minha equipe médica  também, todos nos tornamos parceiros.  

Tive antes da gravidez, perda de proteína na urina que tratei com remédio para a pressão que serve para o rim também, chama-se losartana, logo melhorei. Confesso que por um momento achei que isso me impediria de ser mãe.

O sonho da maternidade veio a tona, queríamos um bebe, mas sabíamos que precisaríamos de uma maior organização da minha saúde para te-lo... Mas o querer foi mais alto, sabia que poderia acontecer, mas não tive os devidos para prevenir, e com a glicada em 9% , engravidei.

Fiquei alegre, porém com medo...

Fiz o pré-natal com a G.O de alto risco, e tudo foi bem tranquilo. Meu medo era de que a diabetes poderia fazer mal ao meu filho, mas graças a Deus consegui controlar e ocorreu tudo bem.


Um presente enviado pelo meu Senhor

Não tive internações, o diabetes ficou bem controlado, tanto que minha ultima glicada estava em 6,3%.

Os exames estavam todos conforme os padrões. Os médicos diziam que nem parecia que eu era diabética, pois meu filho estava perfeito e sem aumento de peso excessivo por conta da diabetes, o liquido da placenta também sempre normal.

Quando descobrimos o sexo escolhemos o nome Ayron, meu marido viu na internet e gostou. Concordei e ficou este nome, já que se fosse menino ele escolheria e se fosse menina eu escolheria.

Meu filho nasceu no dia 28/03/16, com 3,754 kg e 50 cm, com 38 semanas +1 dia, de um parto cesárea. A recuperação foi tranquila.


Amamento exclusivamente no peito. Consegui perder uns quilinhos, sempre fui gordinha, desde bebê, sempre acima do peso, quando quis engravidar a medica me informou que para engravidar precisaria perder 10% do peso por conta do ovário policístico, emagreci 8 kgs e engravidei, engordei 16 kg durante a gestação, mas já eliminei 13 kg.

Até este momento tá tranquilo conciliar meus papéis sociais com a vida de mãe.



Minha mensagem é que nunca desistam de seus sonhos, que ser diabética não impede de ser mãe, que tendo autocontrole durante a gestação a gravidez será tranquila e seu filho saudável e perfeito.