.

Perguntas com e sem Respostas

0 comentários |
Sonhou em ser mãe?
Se cuidou?
Engravidou? 
Glicose não se comporta na gestação? 
São muitas consultas e exames para ir?
 Dá desespero?
 Ouve palavras de desânimo?
 Parece que Deus se esqueceu de você?
 Perde o sono?
 Abre mão de alguns prazeres? 
Tem vontade de sair correndo ás vezes?
 Se sente sozinha?
 Sente tudo isso e mais um pouco?
Tbém passei por isso e estou aqui pra dizer: VALEU Á PENA! 

Se ainda não engravidou e queres isso, saiba que estes serão seus próximos questionamentos...

Esta foto é só uma tentativa de mostrar o tamanho da minha felicidade hoje...


Já se passaram um mês...

0 comentários |
27-07-2013

Um mês de vida do HOMEM DA MINHA VIDA!


Dia do Nascimento (Parte I)

0 comentários |
26 e 27 de Junho de 2013.

Sai da endocrino morrendo de fome, tudo na região que ela tem consultório é caro, resolvemos comer em outro local, assim fomos á um restaurante, comi uma panqueca de frango e salada. Na hora de ir embora pedi um sorvete napolitano comi 3 colheres e dei o restante ao Anderson. Me senti empanzinada, além do cansaço no corpo meu estômago me incomodava,tava um frio danado, ao chegar em casa me deitei.

Levantei no final da tarde tomei um banho e novamente fui pra cama, desde o almoço não consegui comer mais nada, só sentia sede... Anderson estava inquieto, até meio grosso,sabia que estava dificil pra ele ver tudo o que eu estava passando... Aquilo me matava, já não bastava toda a minha cruz agora tinha que aguentar mais esta. Tudo o irritava.

Ás 0h00 levantei e fiz xixi, voltei pra cama, uns minutos depois tive a impressão que estava urinando na cama,apertei o botão do celular e vi que era 1h49 da madrugada,chamei o Anderson ele se levantou e acendeu a luz viu q eu estava molhada, resolvi me levantar dai o liquido não parou de vazar, era bem quente, saia voluntariamente num pequeno jato, depois de termos certeza que era a bolsa, tomamos banho, peguei minhas bolsas e minha cunhada foi conosco pra maternidade.

Não senti dores apenas uma leve cólica, pra ir ao hospital coloquei um absorvente, o mesmo não suportou e tive q usar uma toalha de rosto no meio das pernas. Anderson estava tenso e abobado, ás 2h40 chegamos na maternidade lá esperei bastante tempo, quando fui atendida a médica disse que se tratava de uma bolsa rota (bolsa estourada sem dilatação), ligamos pra minha obstetra a mesma disse que não faria o parto pois só fazia cirurgia agendada, a G.O da maternidade nos falou que por se tratar de um bebê prematuro e pelo diabetes o local não teria estrutura para atender-me, assim fui aconselhada a procurar outra instituição hospitalar já que se eu esperasse a ambulância demoraria cerca de quatro horas.

Chegamos á outra maternidade ás 4h40, passei pela triagem,glicemia 89mg/dl, pressão arterial 12/8, a obstetra fez exame de toque e pediu para realizar o cardiotoco, tive que colocar fralda o liquido não cessava (no total foram seis fraldas). Anderson ficou o tempo todo do meu lado, torcíamos para que eu não fosse transferida já que eu havia sido informada da falta de leito.

                                De fralda,inchada e com a cara abatida. Me preparando para o parto.

Fiquei 6 horas sentada naquelas cadeiras reclinadas, no total foram 3 cardiotocos, no último a enfermeira teve que colocar uma aparelho que vibrava na minha barriga, por que os batimentos estavam mais fraquinhos, disse-me que era pra despertar Davi.

                                               Inchada e com a cara arrasada, porém feliz!

Estava há mais de 12 horas sem comer, tinha que estar em jejum pelo parto,sabíamos que dali só sairia com nosso filho. Fiquei de olho na glicemia o tempo inteiro, meu aparelho ficou ao meu lado, o dextro estava em 75mg/dl, minha maior preocupação era ter hipo, conversei com a equipe médica e pedi soro glicosado, não sabia a proporção só sabia que precisaria. A enfermeira me disse que  receberia uma dosagem de penicilina com o objetivo de nos livrar de infecções e a segunda dosagem eu receberia mais pra frente. Depois da aplicação do medicamento o glicosado seria me dado, perguntei quanto receberia de glicosado me informaram só não me lembro agora, expliquei sobre a bomba, sua funcionalidade e que eu não a tiraria durante o parto (esta foi uma das possibilidade me apresentada). Eu sabia lhe dar com ela e não abriria mão disso.

                                  Assistam este vídeo e vejam como o Davi se mexe durante o exame.

Senti  doer enquanto o medicamento entrava em minha veia,doia muito... Infelizmente meus exames pré-parto não tinham nem sido realizados, me restavam apenas guias nas mãos sem ao menos a realização dos mesmo.

Não tinha noção do quanto era conhecida,pois é, eu era, muitas pessoas falavam comigo como se já me conhecessem por conta do blog, tiravam dúvidas, me agradeciam e por aí ia...

Eu pedi pro Anderson fotografar-me pro blog, por incrivel que pareça ele fotografou sem reclamar.

Termino este post aqui, tomando penicilina, no próximo relato vem o restante da saga até o nascimento do Davi.

Beijo




Um dia antes do Davi nascer

0 comentários |
26/06/2013

Pegamos um baita trânsito, com esta onda de protestos eu e Anderson ficamos presos na Marginal Pinheiros, liguei pra médica avisando que atrasaríamos, a mesma disse que nos aguardaria. Dormi e acordei várias vezes no ônibus a viagem de 30 minutos durou quase 3 horas, eu já estava toda dolorida, Davi se mexia e doía, tudo em mim doía muito. Fui medir a glicemia, estava 95 mg/dl, era hora do lanche da manhã, comi no ônibus mesmo, minha bolsa parecia uma cantina, balas em caso de hipo, 2 frutas e pão integral, eu economizava dinheiro, era saudável e sabia o que de fato estava comendo.

Minha bolsa durante a gestação: carteira, guarda-chuva, lenços umedecidos pequeno (na gravidez passei a ficar com a vagina mais molhada), protetor diário (minha obstetra odiava por que abafava, porém com a umidade vaginal da gestação se eu não usasse seria uma calcinha por hora), segurador de bolsa para mesa (pendurava em qualquer ferro do ônibus pra bolsa ñ me incomodar), caderneta, caneta, chaves, nécessaire e os alimentos que eu descrevi acima, além dos exames e planilhas do dextro. Claro que o Anderson a carregava, quando eu saia sozinha colocava tudo isso numa mochila.

Chegamos ao consultório e tivemos que aguardar a médica terminar de atender seus pacientes, ela viu as glicemias, tinha algumas hipers por conta do corticóide (tomei dias 21 e 22/06/2013), ele ainda estava agindo no organismo, fez mudanças na basal pois o bolus estava adequado, as hipers variavam de 120 mg/dl á 250 mg/dl, teve apenas um episódio de 300 e pouco.

Daí você pode se perguntar:

-120mg/dl é hiper?

Com a macrossomia do Davi mudamos a meta para 70mg/dl á 100mg/dl.

Eu me monitorava bem, era assídua e não brincava em serviço, vou ser realista no que vou dizer, embora não me apegasse á isso é uma realidade comprovada: Enquanto hiper faz o bebê crescer demais, aumentar liquido amniótico o que pode causar parto prematuro, segundo o médico (FMUSP) que fez minhas ultrassons hipo dá morte subida no bebê, pode causar danos neurológicos e etc. Sabia que esta era situação que não dependia de mim, mas eu tinha que fazer meu possível,  tratava os resultados dos dextros como se fosse uma corrida pelo prêmio da Mega Sena,passei a ser ainda mais regrada com os horários da alimentação e monitoramento.

Alguns médicos acharam baixa minha meta, disseram que poderia ser mais alta, porém temos que levar em consideração todo o meu histórico como paciente antes de julgá-lo,  quem acompanha o blog sabe, eu estava tomando medicamentos pra segurar o bebê pois tive dilatação e contração precoce, tinha um bebê grandão dentro de mim. Enfim, era uma linha tênue, hipo era um risco, porém hiper também. E ai?

A obstetra decidiu que continuaríamos com o Puran4 para tireóide e com o Metildopa para a pressão arterial, lembrando que eu não tinha nenhuma dessas doenças, descobrimos as mesmas com mais ou menos 31 semanas de gestação e estavam ligadas a questão gestacional e hormonal, a tendência e sumirem depois do parto.

A endócrino me disse certamente ganharia bebê esta semana com 34 semanas, afirmou que por todo o histórico o Davi seria prematuro mesmo.

Ao me pesar vimos que eu havia ganhado mais dois quilos da semana passada pra cá, ela não gostou mais sabia que isso não dependia de mim, eu estava inchada e retendo muito líquido, além da tireóide ter culpa nisso também.

Sai de sua sala com algumas guias para exames, fora as que eu já tinha em casa passadas pela obstetra, no total eram 10, ambas as médicas pediram exames de praxe para serem feitos antes da paciente ganhar bebê.

Resolvi tirar uma foto com ela e suas recepcionistas, ainda não havíamos tirado nenhuma... Depois disso fomos embora.

Estava frustrada, no final da gestação estava com o colesterol alterado, tireóide alterada e hipertensão, além do famoso diabetes, sem contar hipos, hipers, necessidade de dieta, inchaço, dores no corpo pelo crescimento desenfreado do Davi, mexidas dele e etc. Meu psicológico pedia socorro... Fora isso tinha uma novidade que eu só conto num próximo post.
No meio do caminho lembrei de um diálogo que minha obstetra teve comigo:

-Kath, você ta vendo que não é fácil como você achou que seria? Você fala no blog de gestação em DMs1... Tratei de muitas ao longo da vida, mas confesso não acho fácil!

Respondi:

-Não é mesmo não! Mesmo com todos os recursos atuais que usufrui, não estou achando fácil, por outro lado também não acho justo nos privarmos de sermos mães por conta do DM...

Em casa ninguém mais entendia minhas idas aos médicos e exames, falavam coisas que me entristeciam...

No meu quarto chorei muito, Anderson já estava estressado com tudo isso, o sentia muito tenso de segunda para cá, me acompanhava nas consultas mais o sentia distante de mim, resolvi respeitar era o momento dele...

Orei á Deus e disse:

-Senhor, nos dê saúde e força! Eu não agüento mais isso, pior é que eu não sei como meu filho de fato está (eu pensava nele como pessoa, no emocional do bebê e não no físico como os exames mostravam). Me perdoe pelo pedido, mais eu queria tanto que o Davi nascesse logo, eu preciso olhar pro meu filho e ver que tudo está bem, eu preciso olhar pra mim e ver que não morri...


Depois desta oração passei o dia deitada, o inchaço era demais e as dores no corpo também.


Bomba usada com outra finalidade...

0 comentários |
Fui amamentar, tirei a bomba do top e coloquei ao meu lado, a televisão estava ligada resolvi mudar de canal, apertava o botão e nada, achei que era a pilha do controle que havia acabado e para minha surpresa eu estava tentando mudar de canal com a Bomba de Insulina. Afff...

Última consulta com a Obstetra (antes do Davi nascer): Hipertensão!

0 comentários |
24/06/2013

Como sempre ás 7h00 todas as segundas eu tinha consulta com a obstetra, a partir de 30 semanas de gestação passamos a nos ver toda a semana. Como foi dito na minha última postagem sobre a gravidez, com 33 semanas havia tomado a injeção de corticóide para ajudar a amadurecer os pulmões do Davi (isso descontrolou minhas glicemias, mas tendo em vista prejuízos e benefícios, a segunda opção se sobressaia).

Tireóide alterada no final da gestação estava tomando Puran4 50mg para controlá-la. Agora adivinhem só quem resolveu se rebelar! A Pressão arterial, pois é, foi nesta consulta que soube desta alteração. Estava sentindo fortes dores de cabeça, muita mesmo, mais do lado direito, pior que enxaqueca, se eu me abaixasse ou mexesse a cabeça de forma não esperada... Pronto! Era motivo de chorar de dor, isto durou uns dias mesmo tomando medicamento não passava, na consulta vimos que ela esta acima da média (não me recordo o valor). Passei a tomar Metildopa, 3x ao dia de 8h em 8horas.

Estava tomando: sulfato ferroso, ácido fólico, puran4, luftal, humalog e agora o metildopa... Fora outros quando necessário! Me sentia uma hipocondríaca de primeira linha.

Comecei a inchar no dia 22/06, até então não havia inchado, isso só acontecia se eu andasse demais ou fizesse calor, caso o contrário todos os meus sapatos entravam normalmente...

Nos últimos 15 dias confesso que me entristeci muito com o rumo que minha saúde havia tomado, se por um lado eu agradecia á Deus por ser no final da gestação por outro fica frustrada com o rumo das coisas, principalmente por que eu havia feito tudo direitinho...

Tireóide alterada, alteração no colesterol, pressão alta, inchaço e quase 4 quilos ganhos em uma quinzena... Fiz de tudo e só havia ganhado 6 quilos a gravidez quase que toda, agora em 15 dias 4 ganhos?

Anderson estava comigo nesta consulta. A médica nos disse que a pressão poderia ter aumentado também pelo corticóide e que não deveríamos ver isso com maus olhos, era sinal que havíamos alcançado o objetivo: o amadurecimento dos pulmões do Davi. Infelizmente como efeito colateral vinha a hipertensão, porém com tudo acontecendo ao mesmo tempo não dava pra afirmar que tinha sido o corticóide, mais tudo nos dizia que era ele sim.

Pediu pra que eu tivesse calma por que a gestação mexia muito com a questão hormonal e por isso tivemos tantas oscilações, disse também que por sua experiência Davi nasceria prematuro, ele estava bem gordinho pra idade gestacional, eu tinha aumento de líquido amniótico, dentre outros fatores. Marcou consulta para a outra semana e disse que lá faria exame de toque. Tivemos uma conversa franca e regada de informações, uma vez que minha obstetra participa do grupo de pesquisa da UNIFESP sobre Gestação e DM, aprendi muito com ela, tudo que saia de novo neste tema ela me passava, eu perguntava, tirava minhas dúvidas... Por isso nossas consultas nunca duraram menos de 1 hora.

Sai de lá, fui com o Anderson para o Centro da Cidade de São Paulo resolver umas papeladas, pegamos chuva e  passamos frio.No meio da tarde minha endocrino ligou no meu celular, nos últimos dias ela fazia isso sempre, perguntou como estávamos, como tinha sido a consulta com a obstetra,lhe falei tudo, a mesma me passou instruções, me consolou por que sabia que meu emocional estava bem abalado...

Chegamos em casa no final da noite exaustos e molhados, só nos restava tomar banho, comer e deitar.

Quando tirei meu sapato não me reconhecia estava inchada demais...

Quarta (26/06) seria minha consulta com a endócrino.

Meus pés.


Adaptação: Diabetes e Maternidade

2 comentários |
Pessoal, quantas saudades!!!

Como eu disse tenho muito o q postar mas me falta tempo pra digitar...

Davi e eu estamos nos adaptando principalmente no quesito amamentação, fora que estou cuidando do diabetes como antes (durante gestação) pra ñ perder a referência de cuidado...

Minha endocrino me disse:

-Kath, espero de verdade que seus cuidados permaneçam pois a maioria das minhas pacientes qdo o bebê nasce volta a estaca zero...

Minha obstetra:

-Kath promete pra mim q ñ sairá da linha?

Você pode se perguntar:

-Mais por que elas disseram isso se a Kath se cuida?

Realmente me cuido sim, mas o medo de ambas é que com os cuidados com o bebê, vida pessoal, profissional e afins eu abandone os cuidados com o DM apenas faça medições esporádicas...Estas coisas...

Realmente tá difícil principalmente pq a virginiana aqui ( ñ acredito nisso mas é o q eu sempre ouço) é muito perfeccionista e está cheia de pendências...

-Tenho 22 fitas cassetes pra catalogar (trabalho home office que iniciei antes do Davi nascer e como ele veio antes do tempo ñ terminei);

-Cuidados com o bebê (amamentação, banho e afins);

-Qto a Vitória minha tia está com ela em tempo integral, ela só vem me visitar...

-Casa e etc (minha sogra me ajuda com o básico, faz comida e passa roupa, eu lavo na máquina e vou ajeitando conforme dá, agora q Anderson mudou de horário no serviço quebrou minhas pernas ele me ajudava muito.);

- Consultas médicas minha e dele;

-Visitas em casa;

E por ai vai...

Glicemias estão maravilhosas (mínimo 52 mg/dl - máx. 180 mg/dl) -média 120 mg/dl), a Bomba Medtronic está sendo uma Parceira nestas horas, claro que isso ñ exclui os cuidados necessários, continuo com uma alimentação saudável, meço CHO, dentre outras coisas...

Beijos 

ps: Davi chora no berço, preciso desligar.

Foto mais recente dele pra vcs...



Diabetes não revelado...

7 comentários |
Estou lendo seu blog e estou adorando. É muito bom ver a experiência de outra mulher como eu. Vou contar um pouquinho da minha historia.  

Fazem três anos que descobri que tinha hipertensão e comecei a tratar com o cardiologista. 

Foi ele que me pediu todos os exames necessários para que eu pudesse começar a tentar a engravidar (há quase um ano).

O resultado da glicemia deu um pouco alterado, 192 em jejum. Ele me pediu outro para confirmação... Fiquei com receio do resultado, por isso nem apareci durante uns dois meses no consultório.

Eu diabética? Não poderia ser! Não queria ter diabetes...Achei que eu não deveria fazer mais exames... Mesmo por que estava cômodo pra mim, comia que nem louca, pizza, lanche, refri, etc. e não engordava...  Quem não quer comer e não engordar não é mesmo?

No começo até era bom, porém quando minha ficha caiu eu já tinha eliminado mais de 40 kilos (pesava 103)!

Meu marido brigou comigo, afinal eu tenho um filho de sete anos e não me cuidava... O que seria de mim? Dele? De nós?

Cai na real e procurei um especialista. Expliquei pra ela que queria muito engravidar novamente. A mesma me explicou como funciona quando uma diabética engravida, sobre insulina e que eu era Diabética Tipo 1. Sai de lá bem mais tranqüila. Na mesma semana larguei a medicação oral e comecei com a insulina, no dia 12 de março de 2013.

Neste período já estava há quase dois meses sem o anticoncepcional também.

Em abril não menstruei, no dia 30 desse mesmo mês fiz um teste de farmácia, era véspera de feriado e para minha alegria o resultado foi positivo. Nesta época meus dextros sempre ficavam em torno de 350 á 400 mg/dl.

O meu objetivo maior tinha sido conquistado, consegui engravidar, agora viria um segundo passo: ter que me cuidar ainda mais e foi isso que passei a fazer. Como emagreci bastante, minha pressão normalizou. Meu cardiologista me pediu um retorno no dia 7 de agosto, dai em diante será consulta todo mês. Já minha endócrino está de licença maternidade, mas temos contato direto por e-mail. Já tenho consulta agendada com ela.
 
Uso insulina Regular e NPH, à noite e pela manhã. A regular só uso quando meço e está muito alta. Estou de 12 semanas de gravidez, muito ansiosa para saber o sexo, afinal já tenho um menino e a torcida por uma menina é grande!

Hoje minha vida é totalmente diferente, claro que às vezes dou uma fugida da rotina, afinal não é fácil ir a um aniversário e não comer nem sequer um brigadeiro! Mas muita coisa mudou, estou firme na dieta e evitando alimentos que sei que podem comprometer os resultados dos dextros. Antes comia uma lasanha grande sozinha, hoje me limito a um pedaço. 

Não tem sido fácil! Sempre fui gordinha e comia tudo o que queria... Fazer o que? A vida é assim ás vezes...

O Diabetes  veio pra ficar e eu não tenho como mandá-la embora, então preciso me adaptar pra viver melhor!!!

Não tenho coragem de contar pra ninguém (amigos e familiares) que tenho diabetes, pelo menos por enquanto só meu marido sabe. Não contei nem para meus pais...É dificil pra mim. 

Depois de ir na endocrino comecei a usar insulina e aprendi a viver com isso, tenho meus momentos de não aceitação, mais tenho consciência do quanto preciso conhecer o DM e me tratar...

Achei que devia mandar este e-mail, pois vc precisa saber o quanto ajuda as pessoas, tenho certeza que como eu muitas lêem seu blog e se sentem menos abandonadas neste momento.

Parabéns pela iniciativa.

Um grande abraço

Ana.

Isaac: O filho da promessa, riso pros meus lábios

0 comentários |
Olá amigas!

Tenho 24 anos e sou Diabética Tipo 1 há  9 anos.

Em 2011 engravidei, fiquei mega feliz com a gestação , porém sem nenhuma noção da necessidade de um tratamento diferenciado neste período já que eu sou DM1.

Iniciei o pré-natal simples e não me cuidei como deveria, não fui informada por minha equipe médica dos cuidados necessários e eu não tinha noção nenhuma. Moro numa cidade interiorana e isso dificultou bastante as coisas, tanto nas informações quanto em equipe médica.

Aos 5 meses de gestação meu bebê parou de crescer como deveria, com 37 semanas fui ao obstetra e meu bebê, o Luan havia falecido há 4 dias. Depois de 3 dias tive um parto induzido. Tomava NPH e R.

Como eu sofri! Não tenho palavras para descrever a perda do meu filho, que foi gerado com tanto amor e comigo passou 9 meses. Comecei a me tratar no analista  e  mas do que isso me refugiei em Deus. As pessoas me estimularam a adotar um nenê, não era o que eu queria pra mim, queria poder gerar o meu filho, do meu relacionamento.

Cri em Deus e passei a fazer o tratamento durante um ano com a nutricionista e endócrino,  me dediquei ao que elas me diziam, até que engravidei novamente. Fazia o dextro cerca de 12x ao dia, fiz repouso deste os três meses de gestação pois meu serviço (vendas) era estressante demais, minha pressão estava subindo e com a correria mal podia fazer as medições. Os médicos me pediam exames de sangue periódicos e  ultrassons mensais.

Meu tratamento durante a gravidez foi: Aplicar as insulinas Levemir, Humalog e fazer contagem de CHO (faço isso até hoje).

Dr. Ronaldo meu ginecologista ficava em cima, “puxava minha orelha” quando era necessário. Minha cidade não tinha boas clínicas, desta forma quando necessário eu ia á outras para melhor ser atendida.

Confesso que houveram momentos difícieis, porém Deus me ajudou em todos eles. Não tive complicações gestacionais, Isaac apenas teve macrossomia, por isso o parto foi adiantado. Meu filho nasceu no dia 30/11/2012 ás 13hs, 37 semanas, 3850kg e 51 cm teve uma leve hipoglicemia, nada a mais.

Isaac: O filho da promessa!


Lembro de quando cheguei no Hospital para ganhá-lo logo perguntei ao médico  ( que acompanhou a perda do meu primeiro filho):

-Dr. Eu vou morrer?

Ele sorriu e disse-me que tudo estava nos conformes, que eu não deveria me preocupar. Naquele momento, descansei e me entreguei pra Deus.

Hoje a razão do meu sorriso está em minha casa e se chama Isaac, o próprio significado do nome dele já diz o que ele faz em nossas vidas.

Minha mensagem ás DMs que pretendem ser mamães é: Não desanimem! Vc pode ter filhos sim! Com cautela, cuidados necessários e muita fé em Deus!

Eu e Isaac







Carinha do Davi

5 comentários |
27/06/2013 as 1h49 minha bolsa rompeu, ás 11h53 Davi nasceu de parto cesarea com 34 semanas, 3.510kg e 48 cm.

Estamos bem, como sempre ando com minha fiel caderneta anotei tudo o q aconteceu conosco, assim q possivel posto no blog, tá tudo nos mínimos detalhes, as futuras mamães se esbaldarão...

Tenho recebido todas as mensagens de carinho, só peço desculpas por ñ responder todas...Vcs imaginam pq né?
bj


Acabando de nascer.

Pulseiras maravilhosas q me orgulham!