.

A vida da gestante ñ para, de uma gestante DM então...

1 comentários |
Boa Tarde Pessoal!

Minha vida está uma loucura: mudança na basal, no bolus,idas frequentes á obstetra e endocrino, computador q pifou, textos para o blog escritos na caderneta até q eu possa digitá-los e publicá-los, casa ainda na bendita reforma onde ñ encontro nada meu e um cesto lotado de roupas do bb pra passar... 

Espero que em alguns dias possa arrumar meu micro para postar as muitas novidades no meu tratamento e gestação. Enfim, tô sumida + tô bem.bj

Poucos dias para 8 meses.

Entrevista é Revista Vida Saudável e Diabetes

1 comentários |
Maio mês das mães, dei uma entrevista falando sobre minha gestação como diabética á Revista Vida Saudável e Diabetes, acho que vale muito á pena ler. Junto comigo, outras 2 amigas narram suas experiências com o diabetes e maternidade de formas diferentes. Natália diz como convive com o diabetes e narra seu cotidiano já que sua filha Marcela de 04 anos é DM1 e Talita detalha sua vivência com o diabetes duplamente, já que ela e sua filha Emily de 12 anos são DMs1.


Minha entrevista



Capa da Revista- Maio/2013 -nº8

Natália e Marcela

Talita e Emily

Diabéticas: Ecocardiograma Fetal deve ser feito duarnte a gestação.

1 comentários |

II Encontro Parto sem Medo para Casais Grávidos e com Bebês

0 comentários |
Uma dica pra quem puder ir, pena q só vi agora: II Encontro Parto sem Medo para Casais Grávidos e com Bebês, nesta quarta-feira dia 22, em Santana-São Paulo.



Chá de Bebê do Davi

2 comentários |
Dia 11/05 foi o Chá de Bebê do Meu Bebê. Uma íntima confratenização de amigos, por mim faria uma coisa pra chamar as inúmeras pessoas que conheço,mais preferimos algo mais nosso mesmo. Foquei nas fraldas, já que Davi tem ganhado bastante coisas, fraldas será bem mais útil pra nós agora.

A família foi primordial neste dia, um correu com os salgados, outros em coisas que faltavam, procurei me exercitar o mínimo possível.

Três grandes amigas foram peças fundamentais para Nosso Chá de Bebê, Paula com sua decoração e doces, Viviane com o bolo comestível e Taciane que deu uma identidade visual para o evento. O contato de duas delas estão no blog caso queiram conhecer seus trabalhos.

Comi de tudo um pouco e as glicemias se mantiveram estáveis, o máximo foi 147mg/dl, aliás tenho uma crítica muito grande ao meu organismo, tranqueiras não elevam tanto minha glicemia, quanto uma dieta ideal pra DM. Ossos do Ofício...

Algumas fotos para vocês verem.



Convites Por: http://www.ttstudio.com.br/


Porta-Guardanapo: http://www.ttstudio.com.br/


Caderno de Assinaturas + Quadro q ñ aparece em fotografias:  http://www.ttstudio.com.br/

Decoração e Doces por: http://paulafrancofestas.blogspot.com.br/



Decoração e Doces por: http://paulafrancofestas.blogspot.com.br/


Bolo falso:  http://paulafrancofestas.blogspot.com.br/
Bolo comestível: Amiga Viviane.

Teresa, uma grande amiga e tbém DM1 que fez o devocional do Chá de Bebê.









Resumo semanal sobre nós

0 comentários |
Dia das Mães passou, uma data de consumismo confesso, mais até que acho lindo como algumas famílias e pessoas comemoram este dia, presentes não significam nada se comparado ao amor diário que as mães dão e recebem independente de datas.

Enfim, minha última postagem foi uma homenagem ás Mães DMs1, hoje como uma, sei bem todo o sacríficio de uma DM para seguir com sua gestação saudável.

Tenho falado da minha árdua rotina, tem semana que todos os dias tenho médico, quando não, pelo menos uma vez por semana tenho. Fora buscar insumos ( insulina, lancetas,fitas e etc.) que são em endereços diferentes.

Esta é minha caderneta está comigo em todas as consultas, nela vou anotando tudo o que as médicas me dizem (ajuda nas postagens também).

Uma página com as novas basais e compromissos.

A rotina de contar carboidratos,fazer planilhas semanais, perceber o que como e como isso interfere em meus dextros, ás vezes me dá vontade de sumir do planeta, sim, por que vc faz, faz e parece q ñ sai do lugar. Pior ainda é quando sua obstetra olha pra sua cara e diz:

-E estas hipers hem?! Tenho pacientes menos informadas que você e com controles melhores! Ainda mais você com a bomba e bláblá...

Sei q ela não fala por mal, apenas para me alertar, mais isso acaba comigo, ainda mais por que me conheço e sei o que faço pra manter tudo na linha.

Bem broxante ouvir estas palavras, faz com que eu volte para casa guiada por Deus, pois nem percebo o trajeto de volta pra casa.

Por mais que eu saiba de todos os meus sacrificios me questiono o tempo todo:

- Sou uma mãe negligente?

- Falto contar CHO da água que bebo... O que está acontecendo?

Desculpe-me o termo mais isso é UMA MERDA!

A endocrino já diz:

-Os hormônios gestacionais são uma montanha russa, não posso culpá-la, pois sei que isso não depende só da gente (você como paciente e eu como profissional), nosso papel não é achar culpados, mais sim saber como agirmos diante desta situação. Vamos mudando basal, bolus e encontrando o mais ideal pra vc. Receitas prontas não existem e nem tratamento de choque que nos dê um retorno tão imediato. Você é uma grávida! Sei que o bebê depende de glicemias estáveis e é o que tentamos, estamos em buscar disso.. . Você ñ é negligente! Não se sinta assim...Não tem culpa do que ocorre dentro do seu corpo...

Isso me faz um pouco melhor... E assim vamos levando...

Ainda tem a questão da outra endocrino do Grupo de Alto Risco, sinceramente cheguei a conclusão que não poderei ir mais á ela, não pela profissional, pois como disse á você é bacana, mais sim pela distância... Como dizer isto á obstetra sem que ela se sinta mal? Ñ sei...

Como lhes disse em postagem anterior, agora sinto dores do pé da barriga e com menos disposição, continuo tomando os medicamentos receitados pela obstetra para que o Davi não nasça antes do previsto, só que agora estou de repouso em casa, sem trabalhar (ordens médicas).

Aos poucos me desintoxicando das Redes Sociais para ter menos estresse ainda (ordens médicas também, ambas sabem como eu sou ligada á estas coisas)...

Mais confesso que a mistura de dores, médicos, repouso, contagem de CHO, exames
e etc. estão me sufocando psicologicamente...

Estou amando ser mãe, sentir cada mexida dele, vê-lo nas ultrassons, arrumar as coisinhas, mais não posso deixar de salientar o quão cansativo é tudo isso (isto ñ soa como uma reclamação e sim como uma realidade).

Uma colega me disse:

-Meu! Que neura é esta? Conheci uma DM1, que não fazia metade do q vc faz, nem tinha os seus recursos e levou uma gestação de boa... E vc assim se cobrando tanto?

Esta será sempre uma linha tênue amigas, onde vc é quem decidirá onde deseja estar, eu prefiro estar parecendo meio neurótica (como já disse comigo mesma, odeio deixar os outros junto comigo) e saber q o melhor está sendo feito, do que abrir mão e por meu filho em risco...

Mais um desabafo para que compreendam nosso cotidiano, nos julgue menos e se preparem para a vez de vcs...

Ah! Só para não perder o costume, segue minhas atuais basais e bolus:

Basal na Bomba:

0:00- 0.9
05:00- 1.1
08:00-01.0
10:00-1.1
11:00- 1.4
13:00-1.2
16:00-1.5
18:00-1.2
22:00- 0.9

Bolus:

Café da Manhã: 6g/U
Lanche da Manhã: 8g/U
Almoço:  10 g/U
Lanche da Tarde:  8 g/U
Jantar:  10 g/U
Ceia:  12 g/U

Estou começando a preparar  as próximas postagens sobre minha ultima ultrassom, consultas á obstetra e endocrino,percentil e liquido amniótico.... Fiquem ligadas!

bj




Homenagem ás Mães DMs1

0 comentários |

Comecei este blog com o objetivo de partilhar minha vida como DM, medos, anseios, felicidades, revoltas, enfim, vontade de falar de mim pra não me sentir um E.T no mundo (bom pelo menos no meu  mundo onde DMs eram raros. Encontrei meu espaço, pessoas que eu pudesse compartilhar minha vida e foi muito bacana isso.

 Os meses passaram-se e logo veio a curiosidade da maternidade na vida de uma DM, comecei a ler, perguntar aos médicos e encontrei várias pessoas que me iluminaram, quando tinha dúvida as procurava, mais na minha ansiedade não ia enchê-las de perguntas e deixá-las de saco cheio de mim, mesmo por que entendo que quando uma fase passa em nossa vida, mais pra frente lembramos dela de uma forma muito geral, e eu curiosa que sou, queria saber os pormenores. Por isso decidi: O dia em que eu engravidar paro nem que for uma vez por semana e narro meu cotidiano, e é isto que tenho feito desde minha primeira gestação que infelizmente resultou em um aborto. Confesso que não é fácil sentar aqui e escrever, por menor que seja a postagem não me leva menos de 20 minutos, e eu como todo  qualquer ser humano tenho vida né?

Hoje grávida de 07 meses do Davi sei o que é a Dádiva da Maternidade e o quão custoso nos é gera uma vida, vida esta que em meses só nos traz alegrias.

Para mostrar ao mundo que é possível DMs Tipo 1 terem filhos lindos e saudáveis, juntei um pouco dessa galerinha com sua prole.

Amigas, obrigada por se juntarem a mim nesta causa, mulheres MA-RA-VI-LHAS vocês são!

FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!




Da  esquerda pra direita de cima pra baixo:


1. Ana Carolina, mãe de Ana Laura (4 meses). Há 18 anos diabética. Tratamento: Lantus e Humalog.

2. Carol, 34 anos e há 34 é diabética. Mãe de Isabella de 2 anos. Tratamento: Na gestação usou NPH  + ultra-rápida. Atualmente usa Bomba de Insulina.

3. Cristiane,32 anos e há 21 anos é diabética. Mãe de Rita ( 7 anos), Ana Luiza (6 anos) e  Danielle (5 anos). Tratamento:  Na gestação usou NPH e Regular. Atualmente usa Lantus e Humalog.

4.Ellen,  diabética há 06 anos e mãe de Murillo de 02. Tratamento: NPH e Regular.

5.Cristina, DM há 39 anos. Isso não a impediu de casar, estudar e ter uma filha (Nicole 26 anos e enfermeira).  Tratamento: Durante a gestação usou NPH e R. Atualmente é usuária de bomba de insulina. 

6. Tamie, diabética há quase 15 anos. Mãe da princesa  Harumi de 4 meses. Tratamento: Lantus e Novorapid.

7. Juliana, 30 anos- Diabética há 03 anos: Mãe de Beatriz 13 anos (nesta gestação não era Diabética) e Guilherme 1 ano e 3 meses. Tratamento: Insulinas NPH e Regular

8. Kath Paloma, 26 anos e há 6 é diabética. Em 2012 teve um aborto retido, no entanto isso não a fez desistir da maternidade 5 meses após o acontecido com bons controles glicêmicos e aprovação médica engravidou novamente. Hoje está grávida de 7 meses do Davi. Tratamento: Até a 22ª semana de gestação usou Levemir e Humalog, depois deste período Bomba de Insulina.

9. Luciana, diabética há 16 anos e mãe de Maria Eduarda de 4 anos. Tratamento: NPH e Regular.




Eliane e Helena.


Da  esquerda pra direita de cima pra baixo:

1. Dayse, 28 anos e há 05 é diabética. Mãe de Isaque de 02 meses. Tratamento: Durante a gestação usou bomba de insulina, porém pós gestação devido ao seu ótimo controle glicêmico voltou a usar Lantus e Novorapid.

2. Regilaine, 24 anos e há 8 é diabética. Grávida de 4 meses (ainda não sabe o sexo), os nomes prováveis serão Gabriel ou Vitória. Tratamento: NPH e Regular.

3. Marcela,27 anos e há 03 anos é diabética. Mãe do Pedro  de 1 mês. Tratamento: Lantus e Humalog.

4.Taciane, 29 anos e há 25 é diabética. Mãe de Clara (5 anos) e Luigi (2 anos). Tratamento: NPH e Regular.

5. Espaço dedicado pras que DMs que desejam ser mães ou por um acaso já estejam grávidas. Estou em constante orações por vcs! Persistência, responsabilidade, disciplina, controle e fé nos ajudam nesta caminhada.

6. Teresa, há 27 anos diabética. Mãe de Lorena de 2 anos e 7 meses. Tratamento: Bomba e sensor.


7. Talita, 28 anos e há 16 é diabética. Mãe de Emily de 12 anos e  há 02 anos também tornou-se diabética. Tratamento: Ambas usam insulina Lantus e Humalog. Lembrando que o fato de Emily ser diabética não tem nada a ver por sua mãe ser, pois bem sabemos que a probabilidade de uma mãe DM1  ter filhos DM1 são quase nulas porém estas existem e que DM1  é uma doença auto-imune caracterizada pela destruição das células beta produtoras de insulina e não hereditária.

8. Val Abranches, há quase 22 anos é diabética. Mãe de Tiago (16 anos) e Sophia (4 anos), que também é diabética (usa bomba de insulina). Mãe e filha são doces, diferente do mito que há que filho de DM será DM, este não foi o caso de Sophia, como disse Val uma vez: 
-  Uma DM1 ter um filho DM1 é como acertar na mega-sena e este foi o nosso caso agora é cuidar para vivermos como qualidade!
Sophia tem mostrado á todos que a cercam , como é vida é linda de viver tendo pessoas que a amam e tratam devidamente dela. Tratamento da Val durante a gravidez: NPH e Regular. Atualmente usa: Lantus e Regular.

9. Vanessa,26 anos e há 17 é diabética. Mãe de Davi de 6 meses. Tratamento: NPH e Regular.

10. Eliane Cristina, 36 anos, 8 anos de diabetes, minha filha Helena 1 ano e 5 meses.Tratamento: Bomba de Insulina.




















Singela homenagem ás mães pâncreas blogueiras

3 comentários |

BLOGUEIRAS MÃES OU MÃES BLOGUEIRAS?

Como devo chamá-las?

Estas pessoas, doam diariamente um pouco de si, expõem o que pensam, aconselham, dividem suas experiências e mostram ás outras mães que estas não estão sozinhas nesta caminhada.

Quantas noites sem dormir fazendo postagens, respondendo e-mails...dialogando... Sem nenhum retorno financeiro e sim apenas por boa vontade.

Não há homenagem exata pra vocês... Por isso quero apenas lhes desejar: FELIZ DIA DAS MÃES!

Sarah Rubia
Nicole Lagonegro
Silvia Onofre
Joana Sene
Ana Claúdia C.
Natália Vieira
Dulcinéia Maia
Carolina Lima
Cíntia Menezes
Simone

E VOCÊ! Que cuida assiduamente de seu filho para que este cresça com saúde, que estende as mãos á outras mães com seus filhos recém diagnosticados. Que vive e deixa viver! FELIZ DIA DAS MÃES!!!



E o Dia das Mães desse ano será o mais feliz da minha vida

1 comentários |
Ano passado neste mesma data eu voltava pra casa vulnerável em todos os aspectos da minha vida, tinha passado por uma curetagem, voltar pra casa na semana do Dia das Mães sem meu filho no ventre não foi fácil...


Hj um ano depois, sei q poderei comemorar finalmente o Dia das Mães como mãe de útero e não mais só de coração... Minha barriga se mexe,vibra...Dentro dela tem uma vida e se chama Davi. 

Tudo agora faz sentido, as peças se encaixaram neste meu quebra-cabeça...Obrigada Senhor por me permitir gerar e mais ainda por me ajudar a ter disciplina e os devidos cuidados como grávida diabética tipo I.

Desabafo: Minha vida resumidamente nos últimos 20 dias

2 comentários |
Tantas coisas aconteceram nestes últimos dias que nem por onde começar, mais vamos lá...

Tem sido muito cansativo pra mim, manter blog, facebook, responder e-mails, ter vida pessoal, profissional, ir á exames, consultas e etc., etc...

Esta semana, por exemplo, tenho consultas todos os dias, fora isso no sábado será o Chá de Bebê do Davi, neste meio de caminho tantas coisas ocorreram...

Enfim, pra salvar a minha semana a Paula uma grande e velha amiga se prontificou a cuidar de tudo, ela já vinha fazendo algumas coisas, não será um grande evento, mais por menor que seja a gente precisa gastar dinheiro,
comprar, ir buscar e por ai vai... Paula cuida da arrumação, Taciane deu um design para o Chá, marido sai pra buscar o q precisa, família do marido organiza as comidas e por aí vai.

Não lembro se falei no blog que há 20 dias a endócrino tinha me chamado atenção por estar tão serelepe, disse que eu precisava pegar mais leve e etc.

Escutei, tentei diminuir no ritmo mais não rolou, tenho que trabalhar por que sou prestadora de serviço, sem trabalho, significa estar sem dinheiro, tenho que ir ás consultas que por sinal são longe demais e não tenho carro, remédios pra comprar, dieta pra manter... Se não trabalho verdadeiramente não rola, por mais que tenha o Anderson... Fico bem apertada, mais não deixo de fazer meu tratamento, qdo é necessário faço adaptações.

De uns tempos para cá tenho me sentido culpada por não curtir tanto o Davi, quase ñ tenho dado á devida atenção á ele, sou pedagoga de formação e sei o quanto isso é importante.

Endócrino mexeu na basal e bolus e semanalmente tenho que lhe enviar por e-mail meus controles, assim ela vai ajustando até a próxima consulta, de maneira geral estão ótimos, há uns picos hipers... Faz parte, pelos motivos que citei em postagens anteriores.

Obstetra cobrou que eu passasse na endócrino que faz parte do Grupo de Gestação de Alto Risco, confesso que isso me deixou ainda mais cansada, começar do zero, sim por que a profissional não te conhece então vc tem q narrar toda a sua história e  é longe pra caramba, me deu uma crise de choro legal, mais decidi ir, não quero ainda mais estresse faltando 02 meses pro Davi nascer.

Fui a endócrino, ela foi bem bacana, mais foi cansativo demais, chorei de novo, na volta fiquei 4 horas no transito, cansada fisicamente e emocionalmente por ter que ficar no bláblá do zero e não me sentir tão á vontade com ela... Como disse faz parte do Grupo de Gestação de Alto Risco e eu não quero ter que entrar no mérito com a obstetra que julga importante uma endócrino do grupo, pois assim dialogam melhor.


Vou ficando com as duas e fazendo um samba quanto ás prescrições...
Mais esta ainda!

Nesta correria comecei a sentir fortes dores na barriga, as costas também doíam, tava dando pra agüentar, mais a barriga estava me matando... Todo mundo dizia ser frescura, ser normal... Eu fui levando, nesta segunda em consulta com a obstetra narrei o episódio, ao me examinar foi percebido que o Davi encaixou para a posição do nascimento e desceu demais à cabeça, as dores seriam tipo uma contração para o parto... Conclusão: Repouso até o nascimento. Sai de lá com remédios pra comprar, um para ajudar a segurá-lo e outro para as contrações.

Meu Deus! Mais esta? Questionei-me...

Meu filho numa condição não tão bacana agora, eu morrendo de dor, com um cronograma de exames e de consultas completo... Dinheiro pra convênio, pra remédio, pra dieta, pras coisas de casa... Fiquei sem chão!

A obstetra ainda me passou um sermão sobre a forma que ando conduzindo minha vida e pediu pra focar no Davi. Graças á Deus o percentil dele diminui foi pra 69 tendo em vista que as glicemias melhoraram .

Ontem fiz o ecocardiograma fetal, graças á Deus tudo bem com ele, mais passei mal durante o exame, as dores na barriga e nas costas aumentaram durante o procedimento, senti tanta dor que vomitei durante o exame. Fiquei em casa de molho.

Hoje foi dia de endócrino (a minha oficial), são 06 anos de convivência...

Conversamos sobre meu tratamento, sobre a gestação e confesso que sai de lá aliviada, precisava conversar com alguém que conseguisse entender meu psicológico com o físico, mais precisava ser alguém que me deixasse á vontade e a mesma fez isso.

Tanto ela quanto a obstetra foram enfáticas: Eu preciso de pausa física, mais principalmente mental e psicológica.

Tenho dormido pouco de madrugada, pois Davi se mexe muito neste horário, estou com tantas olheiras q nem preciso de óculos escuros.

Vim trabalhar pra organizar pendências sérias e depois me ausentarei, sem dinheiro a gente vai se virando, arriscar a vida do meu filho é o que eu não posso, quando ele nascer como pago INSS por conta própria, entro na Caixa...


Se de repente eu conseguir levar meu serviço pra casa me ajudará, me distraio, não pego ônibus nem peso e ganho um Money... Dá pra conciliar, vamos ver...

Procurarei me ausentar das Redes Sociais por que isso tem me desgastado horrores, principalmente quando há divergências de pensamentos, há discussões e mais discussões que simplesmente só ferem as pessoas. Presenciei uma que me fez chorar. Vou falar uma coisa, chorei algumas vezes, mais sei definir quando é hormônio de quando é alegria, dor e sofrimento.

Com o meu propósito irei até o fim que é lhes narrar minha gestação neste blog.

Amanhã é dia de dentista e sexta tem outro médico...

Por que eu estou desabafando? Por que acho isso válido, acho que troca de experiências nos fazem pensar e principalmente fará com que as mulheres conheçam o cotidiano de uma grávida DM.


Beijos

Lasanha?Hummmm

0 comentários |

E aí, eu vou ficar só olhando todo mundo querendo e ñ comer nem um pedacinho?

Não! Não mesmo! Tudo com muita responsabilidade e de olho na contagem de CHO. Não comerei arroz e nem outros carboidratoa para não intereferirem ainda mais nas glicemias, comerei com salada, mesmo por que sei que o macarrão mexe muito com meus dextros.

Acado de medir e deu 122mg/dl.

Bomba + Humalog + glicosímetro pra ñ perder as glicemias de vista.


Até o Davi? Pois é!

0 comentários |
Adivinhem quem resolveu ficar contra a bomba no sutiã?

Davi. 


Pois é, agora ele chuta a bomba, volta e meia sinto-a sair do lugar ou simplesmente mexer...

Deve ter aprendido com o pai...kkkk

Pulseira de identificação

1 comentários |
Algumas amigas DMs e que tem filhos DMs tiveram algumas ideias para serem identificadas como diabéticas, estes são alguns dos motivos: por que abraçaram a causa e se orgulham de cuidarem de sua saúde ou para ajudar-lhes durante uma possível crise de hipo em um local desconhecido.

Umas fizeram pulseiras, outras tatuagens e  algumas andam com cartão de identificação na carteira.

Eu tenho em minha carteira um cartão de identificação, por isso   não tive esta preocupação, e nunca senti vontade de fazer uma tatuagem neste sentido por qualquer que fosse o motivo. 

Porém no início da gestação tive muitas, mais muitas hipos e 90% assintomáticas, por isso fui á uma feira de artesanato e pedi que fizesse esta pulseira pra mim, paguei R$18,00, nela está escrito: Diabética e o celular do meu marido, a placa de identificação fica virada para o pulso, não quero ficar com o telefone sendo exposto por aí, e se no caso eu passasse mal tá bem visível onde está.

Confesso que esta é uma ideia bem bacana, mais eu não vejo a hora de poder tirá-la e contar apenas com o meu cartão de identificação mesmo, não me sinto tão á vontade, por outro lado deu mais segurança á minha família por conta das hipos assintomáticas. 


Fica a Dica "procêis"! Mais em agosto quero tirar a minha!

No link abaixo há o cartão de identificação para diabéticos.
https://www.google.com.br/search?hl=pt-PT&q=cart%C3%A3o+de+identifica%C3%A7%C3%A3o+para+diabeticos&bav=on.2,or.r_cp.r_qf.&bvm=bv.45921128,d.eWU&biw=1440&bih=775&um=1&ie=UTF-8&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=d3uCUcnEB4Sy8QSb-oCIAQ#imgrc=QUMoE1LdkfurdM%3A%3BJ-E9OOlOXxOthM%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.diabetes.org.br%252Fattachments%252Fcartao_diabetes.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fwww.diabetes.org.br%252Fcomponent%252Fcontent%252Farticle%252F156%3B1062%3B1181



No pulso

No braço.



Minha filha me deixou ainda mais doce!

2 comentários |
Meu blog tem crescido em depoimentos de DMs que se tornaram mães, se a maternidade já é tão desejada por qualquer mulher... Imaginem para uma DM?
Por isso convido ás DMs que se tornaram mamães a dividirem esta experiência conosco (kathpaloma@hotmail.com).
Hoje o depoimento é da Ana Carolina, quando lhe pedi que nos contasse sua história, ela prontamente me enviou o texto e recheou meu e-mail com umas 20 fotos (nem é coruja né? kkk), das fotografias que recebi estou postando 02.
Leiam com carinho:
"Diabética há 18 anos, sempre tive uma vida repleta de doces por conta das hipoglicemias, às vezes nem me lembrava que era diabética... Da noite para o dia minhas hipos tornaram-se hipers em excesso dando HI no glicosimetro. Me questionei:
- Mas porque? Estou me alimentando bem, fazendo o dextro certinho...
Um sono chato começou a me incomodar, fora ele me sentia desanimada e sem fome (coisa que nunca tive) . Fui ao medico pegar receitas para pegar as tiras e as insulinas, me lembrei que fazia algum tempo que não fazia ultrasson (tinha cistos), pedi a este que me desse uma guia para realizar o exame, resolvi já deixar agendado para não ter que ligar depois, e por incrível que pareça a recepcionista disse que havia uma vaga pros próximos 20 minutos, resolvi esperar, antes de entrar na sala fiz um dextro pois estava com mto sono tendo toda certeza do mundo que estava com uma bela hipoglicemia, até coloquei uma bala na boca para adiantar, quando vi o resultado "HI" fiquei louca comigo mesma...
Deitei na cama para fazer o exame, pouco tempo depois o medico disse:
-Já escolheu o nome?
Pensei:
- Como assim?Nome pra que? Será que ele quer dar nome para meus cistos? Como assim doutor nome?
Adivinhando meus pensamentos ele me respondeu:
- Mamãe, você esta com 5 semanas e 5 dias de gestação :PARABENS!
Sai de lá chorando, sem chão, feliz, nervosa, sem saber o que fazer uma coisa mto estranha que não da pra explicar como foi... Com medo, muito medo, contei pra minha mãe, agendei o obstetra um excelente profissional, que merece um OSCAR por todo carinho atenção e profissionalismo! Enfim...
Foram 9 meses de susto e alegria!


Os três primeiros meses como perdi um pouquinho de sangue, fiz repouso absoluto, meus dextros eram feitos de 1h em 1h! Deixei de lado a insulina Lantus e Humalog e passei a usar a Regular e a NPH (opção do médico).
Fiz um controle super rigoroso, emagreci 8 kilos no inicio da gestação e engordei 10 no total até o fim da gravidez, depois que descobrimos a gravidez passei a não ter hipers, porém do 8º mês em diante  não saia de 350mg/dl...
Com 20 semanas descobri que era uma menina, com a ajuda da tia Camila e da madrinha Paula escolhemos o nome de Ana Laura!
O parto estava previsto para 20 de novembro...
Neste meio tempo aconteceu algo chato em minha vida: O término do meu relacionamento com o pai da criança. Isso me abalou mto, uma pessoa que me amava muito (era o que ele dizia) com a notícia  queria me ver longe com a própria filha... Nunca a viu, nunca a pegou no colo, não quis conhecê-la... E não sabe o que esta perdendo, mas hj ela é só minha e não divido com ninguém... Mas isto é outra historia...
No dia 15 de outubro, senti fortes dores, falta de ar e dores no pé da barriga, pensei comigo... VAI NASCER!!! Minha ansiedade era enorme não cabia mais em mim, a vontade de ver o rostinho dela, a cor dos olhos sentir seu cheiro, segurar sua mãozinha era demais...
Fiquei internada do dia 15 até o dia 30 de outubro passando o dia inteiro com hiper e hipo na madrugada... Na ultima ultrasson não sentiram os movimentos do bebê, mas a respiração e os batimentos cardíacos estavam perfeitos... Foi neste dia que meu médico disse:
- Ana, se prepare e durma bem, amanhã a Ana Laura estará em seus braços!
Era tudo o que eu precisava ouvir.  FOI A NOTICIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA!
Dia 31 de outubro de 2012, nasceu meu anjo Ana Laura Ribeiro com 47 cm e 3.080 kgs. Nasceu roxinha e sem movimentos nas pernas devido á hipoglicemia que teve , mais não foi nada grave, os médicos logo reverteram o quadro e eu vi a Benção de Deus na minha vida.

Preguiçosa não conseguia sugar para mamar, tomou por um tempo leite como suplemento para não ter hipo.
Hoje continuo amamentando e tenho hipo após amamentá-la por isso tenho que me monitorar sempre.
Ser mãe é mágico, ser mãe diabética me deixa mais doce ainda!
Sou feliz e realizada!"