.

O desenvolvimento do feto

0 comentários |
Sempre pesquiso sobre gestação, quero entender o que está ocorrendo dentro de mim, com o meu filho.

Já comentei por aqui que não consigo ser uma paciente passiva, tenho que entender meu corpo, o do meu filho...Enfim o nosso. Não quer dizer que eu desmereça os médicos pelo contrário, valorizo-os demais por compreenderem a complexidade humana em especial de uma mulher diabética (não menosprezando as demais doenças).

Maria uma colega mãe de uma criança DM1 me mandou este vídeo e eu simplesmente amei.

Assistam!

Aproveito o post pra dizer que as glicemias tem estado mais dentro da normalidade, aumentei a insulina basal.

Abs.

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=H8zoezaFyqc

Pantera Cor-de- Rosa com Bomba de Insulina

1 comentários |
Gente tinha que compartilhar esta com vocês...

Minha colega Audrey postou esta imagem e logo de cara me apaixonei. A Pantera Cor-de-Rosa com Bomba de Insulina e Sensor? Vê se pode!

Minha cara!

Foto original.

Apenas a foto

Pedro a benção que a Marcela recebeu

1 comentários |
Bom Dia!!!!

Venho trazer uma ótima notícia á todos vocês. Quem acompanha meu blog sabe que posto sempre que possível depoimentos de MÃES DIABÉTICAS para nos encorajar...

Pois é, uma das gravidinhas que aqui compartilharam seu depoimento ganhou nenê. Trata-se da Marcela Ribeiro, mãe do Pedro.




Para sabe mais clique: 
http://diabetesevoce.blogspot.com.br/2013/01/marcela-meu-sonho-de-ser-mae-foi.html

Nas palavras de Marcela as coisas ocorreram assim:

"Minha flor , fui á última consulta na quinta feira dia 11 de abril, ás 18 hs com Roni. Dr. Valério fez o exame de toque , me olhou e disse:

- Vc pode estar no hospital as 4 e meia da manhã ??

Roni espantado disse:

- Já vai nascer??  

O médico respondeu :

-Vamos fazer seu parto pela manhã.

Fiquei tranquila e confiei em Deus. Fui pra casa e arrumei as coisas com minha mãe.

Ás 6h50 ele nasceu.


Foi uma vitoria em minha vida, correu tudo bem, além do esperado. Desde o nascimento do bebê não tenho necessidade de insulina (por enquanto), os hormônios estão se reorganizando. Agradeço á Deus, Roni, Minha mãe e as amigas Jane e Núbia.

Pedro é bem tranquilo, só resmunga pra mamar.

Se Pedro fosse uma menina ia se chamar Vitória pois foi uma benção em minha vida... 

Passei muita coisa na gravidez e GRAÇAS Á DEUS no final foi td muito perfeito.

Deus é fiel !".

Pedro.

PARABÉNS MARCELA!!!!!

Momento mágico: Ultrassom

0 comentários |
Mais um dia de exames de sangue e ultrassom, claro q o segundo eu amo fazer.

Uma médica maravilhosa o fez e bem paciente por sinal, Davi se mexeu o exame inteiro e foi difícil conseguir captar o fluxo cerebral dele. Não foi diferente no coração, a médica só conseguiu ver direito na terceira tentativa.


Ah gente! Ñ tem como ñ babar, ele fez um monte de gracinhas.


Pra vcs terem uma ideia, a médica teve q apertá-lo com o aparelho, numa tentativa de prender ele para examiná-lo.

Se Davi se parecer quando nascer com a foto que vi hoje 3D, sou obrigada a confessar: Tá a cara do pai!

As glicemias estão melhorando, mais acho que devemos ainda mexer na basal, mandei um e-mail pra médica e estou no aguardo.

Vai me dizer que diabetes e maternidade ñ combinam?

Com disciplina e responsabilidade tudo flui bem.

Desistir? Jamais!

0 comentários |
Olá Pessoal!

Consulta do dia 01/04/2013 com a obstetra já foi postada, espero poder ajudar grávidas e futuras mamães DM1 com minhas experiências. É como sempre digo, não sou médica, porém ver que alguém diabética leva uma gestação é bem bacana pra quem quer se tornar mamãe também. Quando comecei a cogitar a idéia de maternidade foi o que mais procurei e sentia falta de maiores vivências e “explicações mais á fundo” neste sentido.

Aqui falo muito mais do Diabetes, pois ainda Graças á Deus não tive problemas com pressão alta, aumento de líquido amniótico e as “patias” que o mal controle glicêmico podem ocasionar. Menciono estas questões, pois conheço pessoas que tiverem estes problemas. Não posso falar de coisas que não vivencio, porém quando encontro matérias bacanas sobre os temas gosto de postar no blog.

Dia 05/04 tive consulta com a endócrino, levei pra ela a cartinha da obstetra alertando sobre o percentil de 79% do Davi. A mesma mexeu nas dosagens de insulina basal e bolus na bomba. Senti que não deu diferença, anotando os dextros, comparando refeições, meu corpo e afins resolvi mexer por conta própria na dosagens (não aconselho ninguém a fazer isso, embora eu ás vezes o faça é sempre com responsabilidade, observações e diálogos com a endócrino). Anotei o horário das mudanças, os dextos, alimentação e levei para a endócrino no dia 19/04, expliquei por que fiz as mudanças e o que havia reparado, a mesma levou em consideração minhas mudanças e realizou outras na basal e não no bolus, disse que por enquanto deixaria com minhas mudanças.

Confesso que estes tem sido dias de estresse total pra mim, consultas e exames quase que diários, minha vida pessoal está sendo afogada, minha sorte que mesmo entrando em atrito ás vezes com o Anderson, ele tem me dado todo o apoio, cuidado da casa, ido á algumas consultas e exames. Ele está bem presente! O pobre tem agüentado meu nervoso, ando muito “chiliquenta”, ás vezes me sinto sobrecarregada com o excesso de coisas pra se fazer e o pouco tempo que as tenho para realizar, sinto falta de mim, de fazer as coisas que realmente gosto, pois consultas, exames,blog e os trocentos e-mails que recebo me tomam um pouco de tempo. Só estou expondo esta situação, pois será típica na vida de vocês, mais agradeço á Deus pela maternidade, sei que tudo isso valerá á pena.

Na consulta do dia 19/04 a endócrino me aconselhou a desacelerar mais, disse que estou um pouco estressada e preciso realmente descansar, to tentando...

Dia 22/04 em consulta com a obstetra ela viu meus dextros e não ficou tão feliz, disse que por estar com a bomba não era pra ter hipers acima de 200mg/dl, o fato é que estou tendo, o crescimento (graças á Deus) do meu filho, é prejudicial á mim, pois estes hormônios que os faz crescer eleva minha glicemia, daí entra outros fatores como estresse e alimentação que reforçam esta situação.

Confesso que na hora me senti desapontada, tenho me esforçado e não tenho obtido os resultados esperados, novamente hora de rever toda minha situação, não dá pra esmorecer numa hora dessas, fazer corpinho mole e muito menos comer juízo da minha Equipe Médica com esta situação, eles me orientam e me acompanham mais tenho plena consciência que a culpa não é deles e que não os posso sobrecarregá-los com esta situação. Vejo pacientes literalmente enchendo o saco de médicos, ligando, mandando e-mails sem parar, fazendo inúmeras cobranças esquecendo que estes são pessoas como nós. A gente deve se preocupar e não sair enchendo ninguém por ai, falo isso por que o que tem de DM pirada e chata não está no gibi...Desculpe-me a sinceridade, mais alguém tem que dar um toque né?

A endócrino pediu pra que no dia 25/04 mande os dextros por e-mail para que ela possa acompanhar as mudanças nos dextros, tenho certeza que ela não notará muita diferença ainda estou tendo hipers, sendo assim, ela fará mudanças nas dosagens. Já descobrimos um problema no meu tratamento, estou com pouca unidade de insulina por quilo, sabemos que a basal com certeza precisará sofrer alterações ainda maiores, o bolus avaliaremos.

A obstetra acha que isso já deveria ter sido feito há mais tempo e com mais rigor, ou seja, aumentar as dosagens logo e observar e não aumentar aos poucos e ir observando. A mesma me disse que não dá mais pra brincar o percentil do Davi que tende a se elevar, ele já está com 27 cm...

Na hora desapontamento, depois feliz pela garra que Deus tem me dado para lhe dar com esta situação. Estou com orgulho de mim mesma! Com todo este estresse tenho conseguido manter serenidade e equilíbrio e assim estou levando.

Esqueci de falar, tive consulta com a nutricionista que avaliou meu diário alimentar e fará mudanças no meu cardápio, agora tenho sentido mais fome e para não me acabar na comida tenho fracionado as refeições o que a deixou feliz, não precisou nem ela me dizer que teria que fazer isso pois já estou fazendo...

Fechamento dos dois trimestres e início do terceiro: Quase três quilos engordados, dois e poucos. Tenho que ganhar mais um pouco pelo Davi, mais esperamos que não sejam muito.

Hoje tomei a vacina da gripe e anti tetânica que já estava na hora, hepatite não houve necessidade, os exames de sorologias não apontaram nada que indicasse aplicá-la.

24/04- Ultrassom do Davi.

Simbora em busca de glicemias com variações d 70 mg/dl á 120mg/dl. Embora saibamos que hiper e hipo aconteçam só não podem neste momento se tornarem uma realidade constante.


Consultório da Endocrino e Nutri

O sensor que é como um filho

0 comentários |
Tenho a mania de por nome nas coisas, bem infantil isso, mais faz com q eu me aproxime delas...

A bomba q use no test drive chamava-se Meg. Esta ainda não tem nome, mais o do sensor é Davizinho, principalmente pelos apitos da madrugada...

Para se refletir...

0 comentários |
Não curto ver situações sensacionalistas muito menos em televisão pq eles apelam mesmo, tratando-se de doença e crianças então...

Porém ontem mudando de canal vi esta matéria de dois irmãos com que sofrem de Alergia Alimentar Múltipla. Assisti a matéria inteira e confesso q diante de um surto de raiva q tive com o DM ontem foi um "cala boca" pra mim.


Não estou aproveitando as doenças alheias pra dizer q "a minha" é + fácil e nem dizendo q temos q nos conformar ou ñ ter direitos a surtos de vez em qdo com o DM, + acho válido assistir.


Cliquem ai:

http://rederecord.r7.com/video/doenca-rara-obriga-medicos-a-adotar-tratamento-radical-cortar-a-comida-da-dieta-51749a240cf2eb0ea039aa41/

Dúvida é uma coisa, falta de educação é outra.

0 comentários |

Pasmem com o q houve comigo ontem.
Estava parada no ponto de ônibus, vestido de manga curta então o sensor da bomba estava aparente. O bendito ônibus ñ vinha, me distrai, de repente sinto alguém subindo ainda + a manga do vestido e cutucando o sensor, depois alisou meu braço. Não tive reação. Gelei! Em segundos olhei pro lado, me deparou com uma mulher q pergunta:
-Pra q isso ai moça? O q vc andou aprontando? Afff...
Estática e digerindo o acontecimento e pergunta, respondo:
- Curativo.
-Pra q?
E ela simplesmente começou a fazer inúmeras perguntas sem parar e eu sendo grossa. Por fim ela me disse:
-Sou enfermeira e vc deveria me explicar melhor,ñ sou obrigada a saber de tudo!
Pasmei mais ainda com a audácia do ser humano e olhei pra frente, meu ônibus vinha vindo, dei sinal e a deixei falando...

Para se pensar e agir

0 comentários |
Uma colega postou algo muito triste hoje. Uma criança de menos de 2 anos faleceu esta semana. Sabem pq? A médica achava que era dengue. E era diabetes. Bastava apenas ter furado o dedo da criança e ter medido sua glicemia, o q ñ foi feito. Este só é um dos muitos casos q tenho escutado por ai. Valentina se foi, infelizmente. A partir daí um grupo de blogueiros sobre diabetes (como eu) estão divulgando esta campanha.

Vamos abrir nossos olhos. Pode acontecer conosco, com um parente...

Silvia do blog: joãopedroeodiabetes.blogspot.com.br criou este logo, q achei bem propício. VAMOS ESPALHAR A INFORMAÇÃO!


CONFISSÃO SOBRE A TROCA DO SENSOR

0 comentários |
 Dia acabando bomba apita q o sensor deveria ser trocado. Estava na rua, qdo cheguei avisei o Anderson da troca, ele fez cara feia e sentiu-se inseguro pois ainda ñ tinha feito isso.  Confesso q foi tenso, foi uma briga total o antes, durante e depois da troca. Meu marido com medo e impaciente... Mais depois q passou ele se acalmou, só eu q ñ, fiquei bem irritada, irritada mesmo. Chega deu dor de cabeça. Só dividindo com vcs, superei...

Percentil do Feto. Já ouvi falar? E na gestação de Dms?

3 comentários |

Dia 01/04, mais uma consulta com a obstetra, meu peso está bacana (espero que não engorde tanto), até agora não engordei nem 2 quilos, dia 22/04 terei outra consulta, daí veremos quantos ganhei.

Ecocardiograma fetal com doppler agendado para o dia 07/05, quando estarei com 27 para 28 semanas, fazer este exame é muito importante pois ele mostra possível cardiopatias fetais que ocasionalmente filhos de diabéticas podem ter. Segundo minha obstetra entre 25 á 28 semanas pode-se fazer este exame, sendo o ideal 28 semanas.

Mudei de medicamento (vitamina do bebê), parei de usar Damater e fui pro ácido fólico (1x por dia) e sulfato ferroso (2x por dia). A mudança ocorreu por questões de gastos mesmo, estava difícil achar a Damater e o preço não era caro e nem barato, como me adaptei aos dois medicamentos do Posto de Saúde e o resultado é o mesmo, melhor, não gastarei com isso.

A constipação intestinal está melhorando, a Simeticona tem me ajudado neste processo, os gases me davam sérias cólicas. Quando necessário uso supositório de glicerina e logo vou ao banheiro.

Agora neste segundo trimestre de gestação, comecei a ter bastante hipers, no primeiro era hipos, por questões hormonais e até mesmo pelos constantes enjoos e vômitos...As coisas mudaram.

Estamos mexendo na basal e bolus da bomba para vermos melhoras, coloquei o sensor da Medtronic para me indicar hipos ou hipers.

Confesso que o controle sobre minha alimentação está ainda mais acirrado, logo que meu corpo está agindo “meio fora do controle”, ou seja, fora dos padrões. Nós diabéticos já não temos tanta estabilidade glicêmica, numa gestação as flutuações são mais evidentes.

Como digo sempre observo a ação de cada alimento sobre minhas glicemias para ver até onde posso ir com os mesmos. Doces evito, mais se tenho vontade conto CHO e como.

Quando apresentei meus exames para a obstetra ela ficou feliz por outro lado uma coisa a preocupou o percentil do Davi.

Mais o que é percentil?

Este é um parâmetro que permite-nos ter uma ideia sobre o peso e crescimento do bebê relacionando com sua idade gestacional.

O do Davi acusou 76, a estimativa é de 50 á 90, quanto maior for dando mais tendência a macrossomia ele terá, a partir de 90 o bebê poderá ser considerado macrossomico, ou seja, ele ainda não está mais está a caminho de. Por isso minha obstetra fez uma cartinha para endócrino dizendo que temos em torno de 4 semanas para cuidar destas hipers para que elas não continuem proporcionando o crescimento desenfreado do Davi. Meu peso esta bacana, mais a hipers estão fazendo com que o bebê cresça, e olha que não cheguei nem a 300mg/dl.

Ela deixou claro que não devo me culpar e sim me policiar, fazer caminhada assiduamente e até mesmo hidroginástica, neste segundo trimestre isso é comum de acontecer pois a fome aumenta (consumimos um pouco a mais de alimentos) e os hormônios da placenta são diabetogênicos,eles fazem com que a glicemia mexam com os hormônios e o corpo vai ficando numa loucura que tende á hiper.

Ela finalizou a explicação dizendo-me que a mãe sofre uma série de modificações metabólicas e vasculares para adaptar-se à gestação, inclusive ocorrendo a liberação de hormônios que causam o aumento da glicemia materna e consequetemente um aporte maior de glicose para o feto.

Em pesquisas li que “a glicose é um açúcar e no feto esta glicose irá promover o ganho de peso e aumentará a secreção de insulina pelo pâncreas fetal. No feto, diferentemente do adulto, a insulina é um hormônio cuja atuação provoca o crescimento e ganho de peso. E assim, o feto da mãe diabética tem geralmente um peso acima do encontrado nos fetos das mães não diabéticas.
Deve-se ter em mente que os filhos das mães diabéticas apresentam um importante crescimento do tronco e das vísceras abdominais, enquanto que a taxa de crescimento da cabeça e do cérebro permanecem próximas ao normal.
Este aumento de crescimento geralmente só é observado após a 28 semana de gestação. Isto acontece porque o hormônio lactogenio placentário, responsável pela característica diabetogênica da gravidez, começa a ser secretado em grande quantidade após a 25 semana de gestação.”
Diante destas informações, estou me monitorando mais, quanto á alimentação permanece a mesma já que não estou na base dos exageros.
Fica a dica aí para grávidas e futuras mamães DMs, não vamos surtar com as hipers, nem enlouquecer médicos, amigos e maridos, pois esta é uma responsabilidade nossa também. 
Nosso papel não é de nos culparmos mais sim de observar e dialogar com o obstetra sobre o assunto e se cuidar.
Dia 22/04 mais uma consulta. Daí postarei mais novidades.
No restante estamos bem.



Glicosímetro Cepa - Estado de Minas Gerais (informações)

0 comentários |

Bom Dia Pessoal este é um post feito por minha amiga Carol Freitas que mora em BH/MG. 

Vale  apena ler.


Como solicitar bomba de insulina e insulinas em São Paulo?

12 comentários |
Olá Pessoal!

Em São Paulo algumas coisas mudaram no que tange ao processo administrativo (sem advogado, apenas formulário) de insulinas de alto custo e bomba de insulina. Por isso resolvi fazer este post para explicar o que fiz. Lembrando que você que não é do Estado de São Paulo, deve procurar estas informações junto á Secretaria de Saúde de seu Estado ou Município, pois alguns deles fornecem estes medicamentos e aparelho de outra forma.


Vale salientar que independente de ser bomba de insulina ou insulina de alto custo seu processo será renovado a cada semestre ou a cada dois anos os critérios estão mudando(o meu será assim ,bienal). Da mesma maneira que você der entrada no seu processo, fará pra renovar seu processo (formulários, documentos e entrega de endereços).


O indicado é renovar antes da data de vencimento para não correr os risco de ficar sem seus medicamentos ou insumos. 


O formulário que encontra-se neste link serve para insulinas e bomba, deve ser preenchido por seu médico, anexado aos demais documentos solicitados na primeira página e entregues na Rua Conselheiro Crispiniano,20 - á 2 minutos do Metrô Anhangabaú (linha vermelha do metrô). O local de retirada dos medicamentos e insumos é na Rua dos Italianos - Bom Retiro-Unidade Tente Pena-Próximo a Estação da Luz.


http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/comissao-farmacologia/form_para_av_solicitacao_med_preench_manual_15_10_13.pdf

No caso da bomba, siga estes passos:

-  Um test drive deve ser feito antes, ou seja, com uma receita médica em mãos te indicando este tratamento (bomba de insulina), você liga para o 0800 dos Laboratórios Roche ou Medtronic (fica á seu critério), e solicita o test drive da bomba de insulina (costuma ser de um mês) que pode ou não ser pago,depende do laboratório. Os médicos costumam te indicar um tipo de marca, cada uma terá sua peculiaridade, converse com sua equipe médica ou pessoas que já usem este tipo de equipamento. No link Bomba de insulian desse blog há postagens falando da minha experiência com a Medtronic, agora estou com a Bomba da Roche, logo farei posts falando sobre minha experiência com ela.


Medtronic:
0800 773 9200 ou (11) 2182-9200 

Roche:
Central de Relacionamento Accu-Chek Responde - 0800 77 20 126

-Segue os critérios que a empresa for te falando (entrega, relatórios e afins);


-Faça o test drive com o acompanhamento de uma endocrinologista e nutricionista, além do suporte dos Laboratórios,


-Comprovada a eficácia do tratamento (quem avalia isto é seu médico), você deve baixar este formulário (do link acima), pedir para que o mesmo preencha e levá-lo no endereço indicado no segundo parágrafo (Rua Conselheiro Crispiniano);


-Depois deste procedimento aguardar 45 dias ou um pouquinho mais,  um telegrama marcando uma perícia no Hospital das Clínicas- Setor de Endocrinologia, vá no local, dia e horário combinado, faça uma entrevista com a equipe médica do local, levando seus documentos,exames e planilha de dextros, no caso de menor de idade o responsável deve comparecer.Após este processo,deve-se aguardar um telegrama deferindo ou indeferindo seu processo. Se você conseguir a bomba, o telegrama te comunicará e pedirá pra que você aguarde novo contato para retirá-la. Caso não consiga ,no telegrama constará que o processo foi indeferido e você poderá entrar com processo judicial. 


-Processo Judicial, procurar um advogado com prática neste tipo de processo e seguir orientações do mesmo. Costuma custar a partir de 2 mil reais.

Boa Sorte!




Sensor da Bomba Medtronic

3 comentários |
Boa Tarde Pessoal! No que diz respeito á bomba tenho procurado esmiuçar as informações pois sei que só falando muitas vezes não dá para entender. Passo algumas horas para tentar deixar tudo explicadinho por aqui. Peço desculpas se por vezes tais informações não atendem as expectativas de vocês. Por isso em caso de dúvidas liguem para o 0800 da empresa.

Hoje vou focar a postagem no Sensor de Glicose da Medtronic, antes disso gostaria de lembrá-los que tenho uma postagem anterior sobre a bomba e seus acessórios. Cliquem aqui em caso de dúvidas.

Informações técnicas sobre o sensor de glicose: http://www.medtronicbrasil.com.br/your-health/diabetes/device/continuous-glucose-monitor/what-is-it/


Em breve farei um vídeo para que vocês possam entender tudo isso na prática.

Ontem (12/04) coloquei o sensor da Medtronic (ele não vem quando estamos em test drive por isso algumas pessoas não o conhece). Uma amiga e seu esposo, experientes no assunto bomba e sensor me auxiliaram nesta empreitada, lembrando que a empresa fornece profissionais capacitados para este tipo de instalação.

O sensor nas minhas palavras; " Ele é programado para dialogar com a bomba, que está programada (a minha no caso) para apitar quando a glicemia está abaixo de 80mg/dl e acima de 140mg/dl, metas estipuladas pela endocrinologista. Assim posso intervir em caso de hipo e hipers e evitar que estas se prolonguem."

Quem pode usá-lo? Pacientes com prescrição médica para a bomba de insulina, com histórico de flutuações glicêmicas, hipos severas e constantes hipers. O profissional de saúde  pode fazer o pedido deste equipamento quando solicitá-lo ao Estado e/ou Laboratório ( ele é cobrado á parte). Lembrando que o laboratório não o fornece no test drive, assim provavelmente você só o conhecerá quando comprar a bomba pedindo o mesmo ou ganhá-la do Estado com este acessório. Vale salientar que estes são insumos á parte da bomba.

Tem pessoas que não curtem este equipamento principalmente no caso de crianças pois acham uma "judieira" mais um furo nos pequenos e também alegam que a agulha desse é um pouco grandinha... Cada um, cada um...

Ás vezes seus valores não são tão precisos, mais te dá uma indicativa de hiper ou hipo, sempre quando ele apitar, faça o dextro para tirar dúvidas. A transmissão é feita por radiofrequência.

Lembrando que a aplicação da bomba é uma e a do sensor é outra, podem ser próximas ou não. Por exemplo, posso por a bomba e o minilink na barriga, como também posso colocá-lo no braço e bomba na barriga.

Peguei algumas imagens na internet e inseri comentários para ajudá-los na compreensão, outras figuras são minhas.

Espero ajudá-los...



Caixa que vem os sensores (contém 10).

Caixa que vem os acessórios para uso do sensor e Minilink- conhecido também Transmissor (aparelho que é encaixado no sensor e transmite as infs. para a bomba), abaixo mostrarei o mesmo.








Sensor fora da embalagem.





Aplicador do Sensor. Ele é encaixado neste objeto, engatilhado e aplicado na pele (dói um pouco, senti um pequeno queimor).



Ele já vem na posição de aplicação, por isso não há a preocupação de virá-lo. Nesta imagem a aplicação é feita na barriga, como também pode ser feita no braço.



Coloquei duas fitas adesivas para me assegurar que água não entraria ali, uma colega me disse q ñ há problemas se a água entrar,eu tenho uma certa coceira qdo a água entra no meio da fita adesiva e pele, experiência com curativos. Acho que também não custa zelar deste  acessório. Lembrando que a bomba está no meu flanco.
Sensor e bomba na barriga um pouco distantes.

Sensor e bomba na barriga próximos.

Bomba de Insulina na Hora H

0 comentários |
Quem acompanha meu blog sabe da saga daqui de casa por conta de eu usar a bomba de insulina no sutiã... Anderson enchia as paciências por questões de crença e afins...

De um tempo pra cá estou rindo com outra coisa á este respeito. Uso a bomba entre os seios pq pra mim é mais prático, não incomoda e até q acho discreto (minha opinião).

Anderson acostumou-se com a ideia, só esqueci que em certos momentos para o casal bomba ñ  é tão legal entre os seios... Não dá pra ter tudo ao mesmo tempo!

E por mais que em certos momentos eu a tire ou mude lugar, tem coisas q a gente ñ sabe exatamente qdo vão acontecer...

Como faço quando quero ter relações com a bomba de insulina?

Dá pra ficar com ela. Porém eu ainda prefiro tirar pra ficar mais á vontade, me movimentar legal e saber q ñ corro o risco dela cair. Pq transar limitando-se ñ é legal! E deixar 14 mil reais cair no chão sem saber no que pode dar também ñ é legal!

Como podemos ficar até 2 hs sem ela e neste ato minha glicemia baixa consideravelmente, eu tiro.

Ossos do Ofício com a bomba!



Diabetes/Bomba pela visão do outro

0 comentários |
- Obaa!!! Um mês!!! Gritou Anderson em casa.

- Um mês do que criatura? Pergunto.


- Posso dormir sossegado sem medo das suas hipos, claro q elas ainda acontecem de madrugada, mais nesses mais de 30 dias de bomba foram poucas... 


Nem lembrava q já estou com ela a este tempo, ele lembrou...

Halle Berry: DM1 e mãe aos 46 anos

1 comentários |
Uma colega que também convive com o diabetes Margarete Ferreira, compartilhou  conosco esta matéria.

Cliquem que a imagem aumenta. Vale á pena!



Hipo e hipers na gestação: Calma gente! Elas acontecem, não pirem, sem neuras!

1 comentários |
Dei um pulinho rápido aqui para falar sobre um assunto que vejo pirar as grávidas DMs.

Como sempre digo não sou médica, falo das minhas experiências e não sem embasamento, mais muito bem assistida por uma equipe.


HIPO e HIPERGLICEMIA na Gestação é um assunto que nos faz pirar, nos sentir culpadas, desleixadas...Enfim...Péssimas qdo elas acontecem. Nos sentimos as piores mães do mundo, que não pensam em seus filhos, as piores das piores... Isso por mais que saibamos que elas sejam naturais e quase incontroláveis na vida de qualquer DM.


No início da gestação a tendência é ter mais hipo e com o andar da gestação mais hiper, claro que isso não é regra.


O ideal é evitá-las, e como é óbvio hipoglicemia mais ainda, pois se não a corrigirmos emergencialmente todos já sabem o que pode acontecer, convulsão, coma  e etc, etc...


Não é por que você teve uma hipo severa que irá abortar, ter um filho com alguma sequela ou ficar internada. Elas podem ser prejudiciais sim, mais se se tornarem um hábito e não acontecendo ocasionalmente. Calma gente! Sem neura! Sem piração! O ideal é monitora-se ainda mais, pois assim vocês terão percepção de suas glicemias para saber quando deve intervir.


No primeiro trimestre (quando é mais comum)  tive três hipos abaixo de 15mg/dl (Lo) e olha que isso nunca tinha me acontecido.




O engraçado é que geralmente não tenho sintomas de hipo. Tem colegas minhas que dizem perder a consciência,entrar em  coma, convulsionar eu nunca tive nada disso, por isso me monitoro ainda mais pois numa dessas pode acontecer comigo o que narrei acima.


Só que esta é uma situação que foge do nosso controle. Tive os dois lados da moeda: Caneta e Bomba de Insulina e nenhuma delas nos isenta destes episódios (hipo e hiper)...Acontecem...


E ai eu vou ficar me martirizando? Vou pirar?


Não vou mentir q ás vezes me preocupo com as glicemias, mais de verdade, o q tem mais me ajudado é conhecer ainda + meu corpo e ter responsabilidade sobre ele. Se eu vou comer alguma coisa q ñ to acostumada anoto o dia e a hora pra ver como aquele alimento vai reagir no meu corpo (hipo,hiper, normal). Procuro observar os horários q sobem + e os q descem menos... e pra falar a verdade leio muito, pois qdo chego nas consultas quero tirar dúvidas e ter argumentos com minhas médicas, ñ fico esperando muito o q elas falam (ñ estou desmerecendo elas), só penso q cada organismo é um e ninguem melhor q eu para perceber melhor o meu corpo.

Juntas discutimos a melhor forma de melhorar meu tratamento.


É isso que aconselho vocês fazerem, para não pirarem e também deixarem endocrino e obstetra loucos com nossa loucura kkkkk.


Mais e Kath, em simples palavras o que hipo e hiper podem causar na gestação,claro que com frequência?


A pergunta me foi feita e pelo o que dialoguei com minha médicas tenho que repassar a informação.


A hipoglicemia pode causar danos neurológicos ao feto e no primeiro trimestre é quase impossível evitá-la (no meu caso ela sempre foi sem sintomas). Já a hiperglicemia, pode causar macrossomia, aumento de líquido amniótico e outros problemas a mais. 


Quero deixar claro que estas são possibilidades e não sentenças. 


Finalizo este texto dizendo: Curtam esta nova fase da vida de vocês. Comam de vez em qdo o q tiverem vontade com responsabilidade, exercite-se, leia, informe-se e não fique esperando apenas respostas médicas, seja assíduo com seu tratamento.


Sem neura hem!


Como já foi dito por aqui Diabetes e Gestação combinam muito bem!


bj


Logo posto Mais

0 comentários |
Pessoal! Como estão?

Estou para postar algumas coisas aqui, só que não tive tempo ainda, gosto de sentar e me dedicar á isso... Tá difícil!

Estou numa correria louca por aqui, médicos, trabalho, família e vida pessoal.

Sobrando um tempinho postarei!

abs.



Filme sobre DM1

0 comentários |

Filme retrata de maneira realista o convívio diário com o diabetes tipo 1 sob a ótica de uma menina de 11 anos.
broken poster diabetes Filme sobre a convivência com diabetes tipo 1 é um sucesso
Um filme independente tem arrebatado as platéias européias. “Broken“, uma produção inglesa e que conta com grandes nomes como Tim Roth e Cillian Murphy no elenco, conta uma impactante história de sobrevivência em meio à violência e pobreza. O roteiro é uma versão moderna e mais sombria do clássico livro “To Kill a Mockingbird” (“O Sol é para Todos”, no Brasil), da autora Harper Lee. De especial interesse para nós é que, em diversas partes do filme, podemos acompanhar as dificuldades e aprendizados de uma garotinha de 11 anos (interpretada pela estreante Eloise Laurence) que tem de conviver com seu diabetes tipo 1.
Na última semana, a ONG inglesa Diabetes UK promoveu uma sessão de cinema exclusiva para diabéticos, na qual “Broken” foi mostrado. A resposta da platéia foi pra lá de positiva! Após a exibição, uma sessão de perguntas e respostas discutiu a acurácia do filme em mostrar o cotidiano de alguém que lida constantemente com o diabetes. Os presentes na sessão ficaram admirados com a maneira realista com que o filme mostra este aspecto da vida da protagonista.
“Nós estamos realmente felizes de poder dar esta oportunidade de assistir a “Broken” para alguns de nossos membros antes que o filme seja oficialmente lançado”, disse Libby Dowling, da Diabetes Uk.
Eloise Laurence diabetes tipo 1 Filme sobre a convivência com diabetes tipo 1 é um sucesso
A estreante Eloise Laurence interpreta uma jovem diabética em “Broken”.
“Crescer com o diabetes tipo 1 pode ser difícil às vezes, e o filme mostra os efeitos que o dia-a-dia e ostress podem ter no tratamento do diabetes. É realmente importante alertar as pessoas sobre isto.”
De acordo com Libby, este foi um dos motivos pelos quais a ONG lançou há pouco tempo o seu já famoso guia listando os cuidados essenciais a toda criança com diabetes tipo 1.
Desde que foi apresentado ao público pela primeira vez, no Festival de Cannes de 2012, “Broken” já ganhou dois importantes prêmios cinematográficos: o Golden Eye Award de melhor filme internacional no Festival de Zurique e o prêmio de Melhor Filme Indepentente Britânico, no The British Independent Film Awards 2012.

Fonte: http://www.diabeticool.com/filme-sobre-a-convivencia-com-diabetes-tipo-1-e-um-sucesso/


Momento espelho/consolo

0 comentários |
Aquele momento q vc agradece á Deus pela gestação, por estar gerando uma vida, por este serzinho q ñ para de se mexer na sua barriga e de repente vai trocar de roupa em frente ao espelho... Baque total!!! Vc percebe q ñ só sua barriga ñ é + a mesma, mais seu bumbum tá detonado, seus braços e todo o seu corpo q já ñ era tão bonito estão ficando trágicos, vc corre pro micro e acha umas fotos com seus amigos e pensa:

-São só 9 meses! Vai passar! Ser mãe ñ tem preço! Ñ se troque + na frente do espelho e seja feliz nestes 3 meses e pouco q faltam pro Davi nascer... O corpo com disciplina a gente vai recuperando...


Momento eu me consolo
.

Terceiro dia de hipo pós almoço

0 comentários |
Pós almoço, hora de medir e logo o glicosímetro detectou uma hipo. Com luvas nas mãos mesmo ,rasguei o açúcar em sachê e nos salvamos...

Terceiro dia de hipo pós almoço...




Poema sobre Hipoglicemia

0 comentários |
Minha amiga Juliana Camara (DM1)  fez este poema maravilhoso e eu não poderia deixar de publicá-lo.


Hipoglicemia...

É como estar apaixonado,
Sentir o ♥ acelerando, quase saindo pela boca,
Medos e calafrios,
Vontade imensa de gritar, pular...
Algumas vezes rir descontroladamente,
Outras chorar sem saber pq,
Um vazio dentro do peito
Uma dor que não doe
Mas que machuca bem lá no fundo
Temores e tremores também
Muitas incertezas
Na verdade de nada sabemos
E muito vivemos
Experiências sem par

É um amor não correspondido
Amor dela, a Hipo
Por nós, os docinhos
Ah como gostaríamos nós de podermos viver sem ela
Doce ilusão...
É amor verdadeiro

E como num casamento
Vamos nos adequando
Enfrentando
Vivendo

Posição para grávida dormir

0 comentários |
E pra achar uma posição bacana pra dormir hem?!

A barriga tá crescendo demais...

Desde que descobrimos a gravidez muda muita coisa, a gente não vira na cama bruscamente como antes e nem dorme de bruços como antes mesmo sabendo que isso não faz mal ao bebê. Agora o lema é: acordar, levantar, sentar, respirar e depois vai se cuidar e por aí vai... 

Não rola mais dar aqueles pulos da cama como antes, quando percebíamos o atraso.

Sendo assim, fui pesquisar sobre posições adequadas para grávidas dormirem. Li várias coisas, vou compartilhar este texto  por que diz o que todos que li falam e está numa linguagem acessível.


Quando vai chegando perto dos últimos meses da gravidez, os desconfortos na hora de dormir aumentam. Mas, segundo o especialista Fernando Leite, ginecologista do Hospital e Maternidade Pró Matre, a melhor maneira de a mulher dormir tranquila é virada para o lado esquerdo. “Essa é a forma mais adequada porque o coração fica do lado esquerdo do corpo, enviando mais oxigênio e nutrientes para o bebê”, diz Luis Fernando. 

Dormir de barriga para cima ou virada para o lado direito pode bloquear o ar da gestante, e o sangue bombeará menos oxigênio para o corpo, incluindo o útero. “Essas maneiras deixam a criança incomodada e agitada porque não recebe tanto oxigênio”, diz. As posições não causarão problemas futuros para o bebê e para a mãe, apenas o desconforto momentâneo. 

Para ter uma noite mais tranqüila, a mulher também pode usar um travesseiro no meio das pernas para aumentar o conforto. “Quando a gestante deitar de lado, ela pode ter dores na coluna. Com o travesseiro, ela não sentirá essa dor”, afirma Luis Fernando.


Fonte: http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI11515-10570,00.html


Após a leitura assistam este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=BzKaXZbxOOA