.

A dica hoje é: Filmes

1 comentários |
Hoje resolvi pesquisar sobre o diabetes em filme. Alguns eu ainda não assisti, mais este será o próximo passo. Vou compartilhar com vocês, seguem as sinopses:

FLORES DE AÇO
Seis divas das telas de cinemaSally Field, Dolly Parton, Shirley MacLaine, Daryl Hannah, Olympia Dukakis e Julia Roberts – juntan-se como amigas do coração, nessa hilariante e comovente história de vida, amor e perda em uma pequena comunidade da Louisiana. No centro do grupo está Shelby Eatenton (Julia Roberts), recém casada e grávida radiante, apesar da diabetes ameaçar sua vida quando o bebê nascer. Aterrorizada e nervosa com a possibilidade de perder sua filha única, M’Lynn Eateton (Sally Field) procura em suas quatro amigas íntimas força e alegria, enquanto enfrenta seus medos mais profundos para se unir a Shelby na celebração do milagre da vida.
Amy, uma jovem de 19 anos é sequestrada. Se ela não tomar sua injeção de insulina, ela entrará em coma e morrerá. Sua única chance é a investigadora do FBI Megan Saunders.
Fonte: http://www.tva.com.br/Show/10509/hora-marcada-para-morrer
O QUARTO DO PÂNICO
O filme conta a história de uma mulher recém-separada Meg Altman (Jodie Foster) que se muda com sua filha Sarah (Kristen Stewart) para um casarão, que possui um cômodo medieval e de extrema segurança, chamado de O Quarto do Pânico. Ao se ver encurralada por ladrões, Meg e sua filha para se protegerem se abrigam no quarto,onde há câmeras e elas pode vigiar os ladrões dentro da casa. Tudo transcorria bem até Meg descobrir que o que os bandidos querem está exatamente naquele quarto, e ao ver sua filha passar por uma crise de diabete, Meg será obrigada a sair do quarto para buscar medicamentos, o que pode colocar a sua vida em alto risco.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Panic_Room

O REVERSO DA FORTUNA
Sinopse: O filme explora sinistros acontecimentos na vida de um casal de milionários arístocratas. Dershowitz, é contratado por Claus Von Bulow para defendê-lo da acusação de tentar matar sua esposa com injeções de insulina misturada com drogas. Sunny entrou em coma em 1979, e permanece nesse estado até hoje. Dershowitz procura contestar a veracidade das acusações, travando uma das mais árduas batalhas de tribunal
Fonte: http://www.filmesraros.com.br/Detalhes.asp?CodProd=4142
COM HORA MARCADA
Recentemente viúva, Val Spencer (Ally Walker) está lutando para criar seu filho de 14 anos de idade e embarcar em uma carreira no setor imobiliário. Quando ela recebe o anúncio de uma casa multi-milionária, suas esperanças para uma venda rápida é interrompida quando o dono (diabético) desaparece e alguém que dizia ser seu sobrinho aparece na casa. O que ela não percebe que este homem tem planos perigosos.
Fonte: http://www.interfilmes.com/busca.Hora%20Marcada.html

Fantástico Mundo de Bob

0 comentários |

Quem  não se lembra do Fantástico Mundo de Bob?
Nossa fez parte da minha infância...
Sinto-me como Bob em relação a alimentação...
Embora a contagem de carboidratos tenha facilitado  nossas vidas, precisamos comer de fato algo que contribua com nossa saúde. E que não seja tão caro...
Por que eu vou falar, nunca vi alimentação tão cara como a nossa....
Fuçando na net encontrei um lugar para nós diabéticos, só não fui conferir se é bom e barato, por que temos que unir o útil ao agradável...kkkk

Chama-se Claris Alimentos -Alameda Quatás, 220 - Fone (0xxx11) 5589-3895

Vou citar alguns locais onde compro parte das minhas coisas:

Supermercado Dia. Os produtos diets desta linha são mais baratos e gostosos (pelo menos ao meu ver).Gosto dos danones.



Empório Oriental- Rua: Ten. Gomes Ribeiro,198 - Fone (0xx11) 5904-3892
Lojinha atrás do Shopping Metrô Santa Cruz (em frente ao terminal de ônibus), lá tem uma parte separada para os diabéticos, e o forte de lá são alimentos para pessoas de dietas especiais (sem glúten, sem lactose e etc.). Estes dias paguei hiper barato na massa de bolo lá...

Seguindo a calçada da loja acima citada, haverá uma rua para atravessar, lá há uma Casa de Doces, que vende diversos alimentos diets em um preço bem em conta. Lá gosto de comprar paçocas diets, achocolatado  e suco em caixinha.
Santa Cruz - Comércio de Produtos Alimentícios - Rua: Loefgreen, 1.249 - Fone (0xx11) 5575-6409

Chocolândia da Rua Silva Bueno, ótimo arsenal de produtos diets...kkkkkk


Espero poder ajudá-los!

Bomba de Insulina ( Parte VIII)

2 comentários |
Eu e meu sobrinho (Tia coruja kkk)

Com as doses da insulina ajustadas me sinto outra pessoa. Ai que delícia!
Test drive da bomba  acabando e o coração doendo. Enfim, as coisas estão encaminhando... Graças á Deus!
E agora muito feliz, teremos mais um membro na família, minha cunhada Andréa está grávida de 2 meses...
Estamos curtindo muito pois há 7 anos não vinha um bebê para a família.
Com certeza serei uma tia muito Coruja, vou cuidar, mimar, proteger, educar e dar muito carinho e principalmente amor para o meu sobrinho.
                                                                                      Seja bem vindo baby!!

Experiência – Explicando diabetes para as crianças

4 comentários |



Criei uma tática, para explicar o diabetes para as crianças, eis a experiência:
Falei-lhes de um cano, pedi para que pensassem naquele cano que distribui a água da caixa d água para nossa casa, e perguntei-lhes:
 -O que vai acontecer se começarmos aos poucos colocar areia neste cano?
Logo respondem:
-Vai entupir!
Eu disse:
-Isso mesmo! E se começar a entupir, a gente chama o encanador. Agora olhem o pulso de vocês, vejam as veias, elas são nossos canos, o sangue que passa dentro delas é a água, a areia o açúcar, e a insulina o encanador.
No corpo temos um órgão que se chama pâncreas, ele tem três filhos e um deles é a insulina, ela ajuda a distribuir o açúcar no sangue. É o açúcar que nos dar energia, no sangue ele recebe o nome de glicose.
Todas as vezes que comemos nosso pâncreas diz a sua filha:
 -Insulina, hora de trabalhar!
Ela diz:
 -Sim, senhor!
E começa a mandar o açúcar (glicose), para os lugares certos.
Só que no corpo do diabético a insulina não existe, e se existe “tem preguiça” de trabalhar. Daí nosso pâncreas nos pede ajuda, e nós para auxiliá-lo, tomamos remédios ou com a ajuda da seringa aplicamos insulina em nosso corpo para ajudar o pâncreas... É como se os remédios o socorressem. Além dos remédios precisamos também fazer dieta e exercícios físicos, por que senão o ajudar ficaremos doentes.
Uma criança me disse:
-Nossa tia! Como esta insulina é chata né? Custa ajudar o pai dela... affffffff

Bomba de Insulina (Parte VI)

0 comentários |
Antes da bomba vir, era um questionamento só em minha casa.
Como você vai pegar ônibus cheio?
Como você vai se vestir? E tomar banho?
Enfim...
Com o passar do tempo fui me ajeitando. Hoje quando estou de saia coloco-a na cintura virada para dentro, de vestido coloco no meio do sutiã, e para tomar banho suspendo a bomba e coloco a tampinha no catéter.
 
Simples,discreta e não me atrapalha em nada.

Bomba de Insulina (Parte V)

0 comentários |
Ontem fui a minha Endocrinologista Dra. Laura, a mesma ficou feliz com minha melhora desde que comecei a usar a Bomba de Infusão Contínua (Sic!), vulgo: Bomba de Insulina.
Por ter apresentado algumas hipos ela mudou minhas dosagens e horários.

Sendo estes agora:

0h00 ás 03h00 - 0,70/unid./ por hora
03h00 ás 05h00 -0,60/unid./ por hora
05h00 ás 08h00 -0,90/unid./ por hora
08h00 ás 11h00- 0,80/unid./ por hora
11h00 ás 14h00-0,90/unid./ por hora
14h00 ás 17h00-1.20/unid./ por hora
17h00 ás 20h00-1.20/unid./ por hora
20h00 ás 22h00-0,90/unid./ por hora
22h00 ás 00h00-0,70/unid./ por hora
Total por dia: 21,90

Bolus: Razão insulina/CHO= 1:15g
Meta= 80-180 mg/dl
Sensibilidade= 20

Bomba de Insulina (Parte IV)

0 comentários |
Foto tirada no dia em que recebi o material.  Bomba, duas pilhas Energizer, manual de contagem de carboidratos, manual da bomba, reservatórios, catéteres e o "aparelhinho" que fixa o catéter ao corpo.

Quando Dra. Laura propôs o test drive com a bomba de infusão contínua, entrei em contato com o Laboratório Medtronic, o mesmo solicitou o laudo médico, assim que o peguei entrei em contato com a Medtronic, e aí sim recebi por Sedex todo o material necessário para um mês. Paguei áa enfermeira o valor que o laboratório me disse cobrar. Recebi nota fiscal de tudo.

Locais de Aplicação de insulina com seringa

0 comentários |
Ganhei da minha colega Enf. Aline este material da Terumo, me ajudou muito, espero que os ajude.
A imagem não está tão boa pois tive dificuldades durante o escaneamento.





Bomba de Insulina (Parte III)

0 comentários |

Eu e Ela!
Ai que romântico...uhhhhhh
Temos nos dado tão bem, mais tão bem, que a hora da partida já tem feito meu coração partir...
Já que estou em test-drive, no dia 04/08/2011, terei que devolvê-la...
Como já disse sou diabética há 04 anos, meu encontro com o diabetes não foi nada bacana. Bem no meu aniversário de 1 ano de casada, os sintomas apareceram...Passei parte da minha segunda lua-de-mel, indo no banheiro e bebendo horrores de água. Conclusão: Não curti nada!
O desânimo e a fadiga vieram...
Como tinha uma consulta de práxe ao ginecologista, pedi um hemograma, pois julgava ser anemia, quando para minha surpresa: Diabetes.
Tanto eu como o Dr. Manoel, nos espantamos, repetimos os exames e mudamos de laboratório,neste meio tempo marquei um endocrino. Quando fui a minha consulta ao endocrino, foi pior ainda, o  glicosímetro marcava: HI. Ou seja, acima de 600mg/dl.
No pronto socorro o hemograma constatou: 703mg/dl.
Conclusão: Internação.
Aquela foi a pior tarde da minha vida, pois quando comecei a receber soro e insulina pela primeira vez, me senti bêbada, não tinha força nem pra levantar.
Iniciei o tratamento, e o controle da glicemia nunca andou como deveria. Meu convênio tem um centro que atende doenças crônicas, foi lá que conheci meu anjo da guarda: Dra. Laura .
Lá sou assistida por enfermeiros, nutricionistas e demais especialistas.
Me sinto sortuda, pois certa vez precisei do SUS, e nem preciso continuar.
Dra. Laura, me propôs fazermos o test drive com a bomba de infusão, mediante meu histórico.
Iniciei no dia 04/07/2011, o controle ainda oscila muito, mais me sinto bem melhor...
Com o auxílio da Érika (enfermeira da Medtronic), posso alterar a basal ,e é isso o que estou fazendo.

Segue meu histórico:

As dosagens anteriores ao dia 12/07, estão com a enfermeira (ela ainda não me passou). Mas senti que a sensibilidade era 25.

12/07/2011 
Basal 1: 00:00 - 1,50U/h
Basal2:  05:00 - 1,40U/h
Total por dia: 34,10U

Bolus: Razão insulina/CHO= 1:15g
Meta= 80-180 mg/dl
Sensibilidade= 20

15/07/2011
Basal 1-
00:00: 1.30U/h
Basal2-
05:00: 1.20U/h
Total por dia: 29,30U

16/07/2011
Basal 1- 00:00: 1.30U/h
Basal2-
05:00: 1.50U/h
Total por dia: 35,00U

Diabetes Tipo I

0 comentários |
O diabetes tipo 1 afeta cerca de 5% de todos os diabéticos. É conhecido também como diabetes juvenil ou diabetes insulino-dependente, pois o índice de diagnósticos do diabetes tipo 1 em crianças entre 10 e 14 anos é maior. Entretanto, pessoas de qualquer faixa etária podem desenvolver o diabetes tipo 1. Também é conhecido como diabetes insulino-dependente, porque a medicação oral é ineficaz para tratar os níveis elevados de glicose no sangue; são necessárias injeções de insulina para controlar a glicemia nesses indivíduos. Como será explicado a seguir, um número reduzido de pessoas que se encontram nos estágios iniciais de diabetes tipo 1 podem não necessitar de insulina imediatamente, embora eventualmente isso ocorrerá.

O que é diabetes tipo 1?

            O diabetes tipo 1 é uma doença na qual os leucócitos se tornam "confusos". Normalmente, os leucócitos são responsáveis por detectar corpos estranhos no sangue e combatê-los com anticorpos. No diabetes tipo 1, os leucócitos agem como se as células beta do pâncreas fossem corpos estranhos. Resultando em uma inflamação e por isso os anticorpos atacam as células beta. A destruição de células beta pode ocorrer de forma bem rápida, ou lenta durante um longo período. Quando uma quantidade suficiente de células beta tiver sido destruída, ocorrerá falta de insulina e os níveis de glicemia tenderão a se elevar.
Se você tiver diabetes tipo 1, provavelmente precisará utilizar insulina para controlar seus níveis de glicemia. Ocasionalmente, nos estágios precoces do diabetes tipo 1, o indivíduo poderá ainda ter algumas ilhotas de Langerhans, que secretam uma quantidade de insulina suficiente, tornando desnecessária a insulina injetável. A medicação oral ou as alterações na dieta, nas atividades físicas e no estilo de vida podem ser suficientes para controlar a glicemia. Assim mesmo, em virtude da presença do diabetes tipo 1, os leucócitos continuarão a atacar as ilhotas de langerhans, e as células beta remanescentes acabarão sendo destruídas. Portanto, com o passar do tempo, as injeções de insulina tornar-se-ão necessárias.
O sistema Hiperdia do Ministério da Saúde cadastrou entre 1999 e 2004 154.994 diabéticos tipo 1, com 31,4% de mulheres e 68,6% de homens. Esses dados provavelmente subestimam o número real de diabéticos tipo 1 no Brasil. Estudo realizado em Passo Fundo (RS) e publicado em 1998 estimou em 12/100.000 habitantes, muito próxima da encontrada em outros países.

Por ser insulino- dependente, meço diariamente a glicemia e aplico-me de três a quatro vezes ao dia insulina.

Texto extraído de :http://saude.hsw.uol.com.br/diabetes-tipo-1.htm

Cantor do Jonas Brother faz música sobre diabetes

0 comentários |
Pesquisando sobre diabetes soube que Nick Jonas (integrante do Jonas Brother) é diabético tipo I, tive a oportunidade de ler algumas de suas experiências com a doença  e digo: vale a pena conferir. O mesmo compôs uma música sobre sua sensação quando recebeu  diagnóstico.  Segue vídeo e tradução abaixo para conferir:


Um Pouco Mais
Recebi as notícias hoje
O médico disse que tenho de ficar
Um pouco mais e eu ficarei bem

Quando pensei que tudo foi feito
Quando pensei que tudo foi dito
Um pouco mais e eu ficarei bem

Mas você não sabe o que tem até perder
E você não sabe como é se sentir tão triste
E todas as vezes que você sorri ou ri você brilha

Você nem mesmo sabe, não, não
Você nem mesmo sabe.

Todo esse tempo passa
Ainda não há um por que
Um pouco mais e eu ficarei bem

Esperando por uma cura
Mas nenhuma delas está certa
Um pouco mais e eu ficarei bem

Mas você não sabe o que tem até perder
E você não sabe como é se sentir tão triste
E todas as vezes que você sorri ou ri você brilha

Você nem mesmo sabe, não, não
Você nem mesmo sabe, não, não
Você nem mesmo sabe.

Mas você não sabe o que tem até perder
E você não sabe como é se sentir tão triste
E todas as vezes que você sorri ou ri você brilha

Você nem mesmo sabe, não.

Então vou esperar o reino chegar
Todos os altos e baixos acabarem
Um pouco mais e eu ficarei bem
Eu ficarei bem

Aniversário

0 comentários |
Estou a um mês do meu aniversário. Há mais ou menos três meses, resolvi então organizar um cardápio diet. Sabia que ia sofrer, mais não desta forma!
Tenho encontrado muita dificuldade em encontrar produtos diets, e quando os encontro deixaria parte do meu salário em uma loja de tão caros que são.

Mais um dia de revolta!

Além dos gastos cotidianos com a doença, mal tenho o direito de comer algo "que posso", pois este orçamento não cabe muito bem em meu bolso...

Posso dizer que hoje trabalho para manter o diabetes: convênio médico, alimentação, medicamento e por aí vai...

Cai bem uma colocação de Rubem Alves "Traduzida de forma simples, a lei da oferta e da procura diz que, havendo procura, haverá oferta. Sou diabético. Minha vida está à procura de algo que seja capaz de controlar o açúcar no meu sangue. Se eu não fosse diabético nem procuraria o endocrinologista e nem compraria remédios. Mais ainda: se não houvesse diabetes não haveria laboratórios pesquisando, produzindo e vendendo medicamentos para diabetes. O diabetes de milhões, assim, é a garantia de bons negócios e lucros para os laboratórios. Mau negócio seria produzir um medicamento que viesse a curar o diabetes. Porque se o diabetes fosse curado, desapareceria esse mercado em demanda permanente de medicamentos. A cura do diabetes é um ideal ético louvável. Realizada, seria um bem para os doentes. Mas, segundo a lei da oferta e da procura, aquilo que é um bem para o ser humano não é, necessariamente, um bem para a economia. Seria um mal para os laboratórios, empresas que obtêm seus lucros da produção e venda de medicamentos a um mercado em expansão: a doença dos indivíduos é a saúde das empresas."
Fonte:http://www.rubemalves.com.br/sobreocrimeIII.htm